Caso de meninos estudando na lavoura mostra dificuldades da internet no campo
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,700 (-0,05%)
| Dólar (compra) R$ 5,47 (1,25%)

Imagem: Pixabay

CONECTIVIDADE

Caso de meninos estudando na lavoura mostra dificuldades da internet no campo

Situação mostrou fragilidade da conectividade rural
Por: -Eliza Maliszewski
269 acessos

A força de vontade de dois meninos chamou a atenção nesta semana. As histórias vem do Piauí e do Rio Grande do Sul. José Caíque, 13 anos, é morador de Olho D’Água, há 95 km de Teresina. Alan, 11 anos, mora em Estrela Velha, no norte gaúcho. Os dois nem se conhecem mas têm em comum a forma de estudar em tempos de pandemia. E foi isso que comoveu a todos.

José Caíque cursa o 7º ano do ensino fundamental. Com a adaptação das aulas para o online viu a dificuldade de conectar a internet em seu quarto. Veio do pai, Francisco Sobral, a ideia de montar uma barraca de palha no meio da mata, há cerca de 500 metros da casa na localidade rural do município piauiense. Este é o único local onde há conexão possível para que ele acompanhe as aulas. A professora de português, Joana Borba, se emocionou ao saber as condições que Caique enfrenta para poder estudar. “Eu fico bastante feliz de saber que ainda existem pessoas interessadas na educação, querendo um futuro promissor”, disse.

Há quase 4 mil quilômetros de distância, no meio de uma lavoura, Alan acompanha as aulas do 6º ano fundamental com um plano de internet de R$ 40 no celular. Com a mesma dificuldade de conexão na zona rural, o pai do garoto construiu uma barraca de plástico com armação de madeira, a escola emprestou a classe e é ali que o menino sonha em se tornar advogado. A mãe do jovem, Dejanira Somavilla, é agricultora e fala com orgulho do filho. “O estudo é muito importante na nossa vida. Sem estudar, a gente não vai a lugar nenhum e, por isso, eu incentivo ele a estudar”, disse.

Internet rural

As duas histórias levantam a dificuldade da conectividade no campo. Está no Senado o projeto de lei PL 172/2020, que busca financiar a internet rural. São estimados R$ 22 bilhões, para impulsionar a internet em áreas urbanas e rurais desatendidas atualmente. Ainda não há data para votação. O Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) também seria usado para conexão de banda larga em escolas rurais. 

Apesar da expansão o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística aponta que 71,8% das propriedades rurais não têm acesso à internet. O Brasil tem 5,07 milhões de estabelecimentos rurais e falta conexão em 3,6 milhões de fazendas do país, o que prejudica o uso de novas tecnologias em um dos principais setores da economia.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink