Castração de animais influencia na qualidade da carne

Agronegócio

Castração de animais influencia na qualidade da carne

Após a puberdade, o metabolismo hormonal do animal equivale ao de um touro e o manejo de um animal inteiro é mais difícil, pois ele fica mais susceptível ao estresse
Por: -Silvano
150 acessos

Buscando trabalhar conjuntamente com os produtores a fim de aprimorar a qualidade da carne oferecida ao consumidor, o Independência Alimentos, por meio de seu Serviço de Atendimento ao Pecuarista (SAP), orienta seus fornecedores sobre a importâncias e as vantagens de castrar o rebanho.

“A castração dos animais está diretamente ligada à qualidade da carne por diversos fatores, tais como a dificuldade de fazer o manejo do animal inteiro e a relação com a composição do peso da carcaça, já que em um animal inteiro, de mais de 24 meses, ocorre desequilíbrio das proporções traseiro-dianteiro”, explica o gerente comercial e de relacionamento com o pecuarista do Independência, Eduardo Pedroso. Ele explica que após a puberdade, o metabolismo hormonal do animal equivale ao de um touro e o manejo de um animal inteiro é mais difícil, pois ele fica mais susceptível ao estresse.

Situações como o transporte, embarque, desembarque, formação de novos lotes, manejo inadequado, entre outros geram estresse no animal. Isso acarreta problemas com a qualidade do produto - maciez, coloração escura, sabor e redução de vida de prateleira na gôndola do supermercado. “Essas situações fazem com que o animal consuma reservas de glicogênio muscular no período pré-abate. Este fato, interfere na curva de queda do Ph e a maturação sanitária ou rigor-mortis não ocorre de maneira adequada o que desqualifica o produto para os melhores mercados”, explica Pedroso.

Outro aspecto relacionado à castração é que quanto mais velho o animal inteiro, maior o desequilíbrio entre a proporção dianteiro / costela e traseiro, parte da carcaça onde se localizam os cortes mais nobres do animal. “Além disso, o animal inteiro possui maior dificuldade de ter um bom acabamento de gordura”, destaca Rodrigo Mascarenhas, técnico do Serviço de Atendimento ao Pecuarista (SAP) da unidade de Janaúba (MG).

“É importante somar a castração a outras ações que melhoram a qualidade da carne, como um manejo consciente, sem estressar ou machucar os animais. Em conjunto, essas medidas aumentam o valor da carne o pecuarista também sai ganhando, pois o frigorífico remunera de acordo”, acrescenta a zootecnista Andriana Tombini, técnica do SAP da unidade de Senador Canedo (GO). As informações são da assessoria de imprensa da SAP.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink