CCGL e RS formalizam investimento em Cruz Alta

Agronegócio

CCGL e RS formalizam investimento em Cruz Alta

Serão investidos R$ 90 milhões, dos quais R$ 66,6 milhões vão ser financiados pelo BRDE
Por: -Redação
12 acessos

O protocolo de intenções, formalizando o acordo para instalação de uma planta industrial da Cooperativa Central Gaúcha de Leite (CCGL), em Cruz Alta, foi assinado nesta segunda-feira (20-11) pelo governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto. Serão investidos R$ 90 milhões, dos quais R$ 66,6 milhões vão ser financiados pelo BRDE.

A unidade terá capacidade de processamento de 1 milhão de litros de leite por dia e vai oferecer 369 empregos diretos. Deve iniciar as atividades no início de 2008. "É um investimento que representa muito para o desenvolvimento econômico da região e para a cadeia leiteira gaúcha. Além da renda e dos empregos que vai gerar, proporcionará também aumento de arrecadação para os municípios", afirmou o governador. O projeto conta com incentivos do Fundo Operação Empresa (Fundopem) e do Integrar-RS.

Com esse empreendimento, a CCGL está retornando ao mercado de industrialização de leite, segmento do qual estava afastada desde 1994. Inicialmente, estarão operando três fases para a produção de leite em pó, creme de leite, leite evaporado, butter oil e queijo.

"Vamos construir não apenas uma nova indústria, mas também uma nova relação com os produtores. Pretendemos que eles participem efetivamente como sócios da cadeira produtiva e tomem parte dos ganhos também na segunda fase do processo, em vez de atuar apenas como entregadores de leite. Para isso, vamos oferecer assistência técnica, desenvolvimento de novas tecnologias e apoio no gerenciamento das propriedades, contando com toda a estrutura das cooperativas", disse o diretor-presidente da CCGL, Caio Cezar Vianna.

Segundo ele, a nova engrenagem tem como propósito inserir o Rio Grande do Sul no mapa do setor leiteiro mundial. A CCGL tem 102 mil associados, dos quais 30 mil trabalham na produção de leite.

Lavoura recuperada:

Durante a assinatura do protocolo, da qual participou também o secretário de Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais, Luis Roberto Ponte, Vianna manifestou o otimismo dos empreendedores do agronegócio em relação à próxima safra de grãos. Depois de dois anos consecutivos de perdas – em 2004 e 2005 – em conseqüência de estiagens, a perspectiva agora é de boas colheitas de soja, milho e arroz. Se as condições do tempo continuarem favoráveis, a estimativa é de que sejam colhidas nove milhões de toneladas de soja, um volume bem próximo do recorde obtido em 2003, de 9,7 milhões de toneladas. As informações são da assessoria de imprensa do governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink