Ceará lidera expansão da renda agrícola

Agronegócio

Ceará lidera expansão da renda agrícola

Algodão, café, milho, soja e uva devem puxar o crescimento da renda
Por:
860 acessos
Algodão, café, milho, soja e uva devem puxar o crescimento da renda nas safras do Estado, conforme pesquisa

O Ceará ocupa a liderança no ranking de crescimento do Valor Bruto da Produção agrícola (VBP), com estimativa de elevação de 85,61% na renda das lavouras. Segundo estudo elaborado pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), os produtores cearenses devem colher o equivalente a R$ 2,235 bilhões com a safra 2011/2012, ante o montante de R$ 1,204 bilhão. O valor tem por base o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de abril último.


O VBP é correspondente à renda dentro da propriedade e considera as plantações de soja, cana-de-açúcar, uva, amendoim, milho, café, arroz, algodão, banana, batata-inglesa, cebola, feijão, fumo, mandioca, pimenta-do-reino, trigo, tomate, cacau, laranja e mamona. Mensalmente, o Mapa divulga a estimativa do valor da produção agrícola para o ano corrente. Essa quantia pode ser corrigida, conforme as alterações de preço e a previsão de safra anunciados ao longo do ano.

Em 2008, quando o Estado registrou safra de grãos recorde, o VBP chegou a R$ 1,798 bilhão - maior valor da série histórica estadual até então. No entanto, o Ceará não tem tradição agrícola - por sua produção de sequeiro voltada para a subsistência e ainda baixo impacto das lavouras irrigadas. No Nordeste, o maior VBP é da Bahia (R$ 10,957 bilhões em abril), seguida por Pernambuco (R$ 2,736 bilhões estimados).


Valorização de preços

Para José Garcia Gasques, coordenador de Planejamento Estratégico e responsável pelo estudo, a valorização dos preços dos principais produtos agrícolas e a projeção de uma safra recorde estão puxando o VBP de 2011 para cima. No Brasil, a renda das lavouras deve atingir R$ 196 bilhões - representando um recorde na série histórica iniciada em 1997. O levantamento considera as 20 maiores lavouras do País e mostra que o resultado projetado - com dados até abril - será 8,3% superior ao verificado em 2010.

Culturas

Em comparação a 2008, ano do último recorde registrado, o VBP de 2011 já é 6,6% maior. Alguns produtos como algodão, café, milho, soja e uva são os grandes responsáveis pelo desempenho do valor da produção nacional neste ano.

Ao todo, nove culturas apresentarão aumentos expressivos, representando uma fatia de 72,7% do VBP. "Diferentemente do que aconteceu em 2010, a base de produtos que estão em melhor posição cresceu este ano", informa Gasques.

O algodão permanece no topo da lista, com alta projetada de 60,5%, chegando a R$ 5,1 bilhões. Em seguida vem a uva, com aumento de 43,4% e VBP previsto de R$ 4,4 bilhões. O milho, com alta de 25,1%, deve atingir valor da produção de R$ 22,7 bilhões. A soja, com ganho de 15,8%, tem valor estimado de R$ 54,3 bilhões.


Banana, tomate, cacau, cana-de-açúcar, batata inglesa e trigo terão queda no VBP de 2011. Os seis produtos correspondem a 25,6% do valor da produção. A queda mais acentuada deve ocorrer na batata inglesa, com redução projetada de 24,7%.

Desempenho regional

O Centro-Oeste segue com o melhor resultado, alcançando valor da produção de R$ 53,8 bilhões - 42% superior à marca de 2010 (R$ 37,9 bilhões). O estado de Mato Grosso responde por grande parte do VBP da região, com R$ 34,6 bilhões, que significa alta de 61,1% em relação ao ano passado. A elevação dos valores da produção de algodão, soja e milho é a principal razão do bom desempenho do estado. Mato Grosso ultrapassou São Paulo e agora é a unidade da federação com maior valor da produção do País. O Sul terá acréscimo de 6,67%, chegando a R$ 50,8 bilhões, e o Nordeste com alta de 9,9%, deve ter VBP de R$ 19,8 bilhões. O Norte, com pequena elevação de 0,14%, atingirá R$ 7,4 bilhões e o Sudeste, com leve queda de 0,98% alcançará valor da produção de R$ 54,2 bilhões.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink