CEPEA a ponta queda de 9,4% em março para o café arábica


Agronegócio

CEPEA a ponta queda de 9,4% em março para o café arábica

Por: -Admin
3 acessos

Os preços físicos de café arábica registraram uma

queda de 9,4% em março na relação com fevereiro. É o que mostra o indicador de preços de café arábica do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada). A média de março foi de R$ 174,97 a saca, contra R$ 193,03 a saca de fevereiro.

Segundo o Cepea, a desvalorização decorre das sucessivas baixas das bolsas internacionais, que operaram, na maior parte do mês, sob o reflexo da guerra. Grande parte dos especuladores deixou o mercado futuro de café e procurou investimentos mais seguros, como o ouro. O Indicador mensal de março é o menor registrado desde o início de 2003.

"No decorrer do mês de março, os agentes do mercado cafeeiro continuaram especulando sobre o real volume que deverá ser produzido no Brasil e também sobre as possibilidades de um adiantamento na colheita da próxima safra. A expectativa do setor é que a safra 2003/04 adiante cerca de um mês, iniciando a colheita do arábica em meados de maio. As altas temperaturas, aliadas às abundantes chuvas no primeiro trimestre do ano favoreceram a granação do produto. As precipitações também foram responsáveis pela recuperação dos cafezais. As lavouras, de modo geral, estão "revigoradas", porém essa melhora beneficiará somente a produção da safra 2004/05, uma vez que a próxima já está formada. Por outro lado, algumas fazendas estão apresentando problemas relacionados às chuvas falta no desenvolvimento e excesso na colheita - e também a menor aplicação dos insumos nas ultimas duas safras. Com a planta mais vulnerável, o ataque de algumas doenças, como a cercóspora, foi observado em maior escala nesse ano. A primeira manifestação desse fungo aparece nas folhas da planta, mas logo os grãos são infectados e se tornam mais escuros. Poucos produtores finalizaram todos os tratamentos químicos, recomendáveis para uma boa produção, dados os altos preços dos defensivos e fertilizantes, que em grande parte são atrelados ao dólar. Outro fator que inibiu as adubações nas regiões cafeeiras foi as constantes chuvas registradas em janeiro e fevereiro, as quais impediram que os trabalhos de campo fossem realizados com sucesso. A expectativa e de que ainda seja efetuada uma aplicação de herbicidas nos cafezais brasileiros, com o objetivo de limpar e preparar as lavouras para o inicio da colheita da safra 2003/04. Assim, com a atenção voltada para os cafezais, os produtores assumiram uma postura bastante retraída no mês. Alem dos cuidados com as lavouras, outro fator que contribuiu para esse recuo dos cafeicultores foi a queda dos preços no decorrer de março. Na outra ponta, a demanda também foi menor, uma vez que alguns exportadores estão trabalhando apenas com seus estoques.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink