Charolês ganha terreno

Agronegócio

Charolês ganha terreno

Em Mato Grosso, a raça está chegando aos poucos
Por:
100 acessos

A facilidade em ganhar peso, a aparência imponente, a pelagem e o comportamento dócil estão entre as principais características da raça de bovinos charolês, mais comum no Sul do Brasil. A pecuarista Hildegardt Victoria Reinhofer, tem seu rebanho em Guarapuava (PR) e afirma que, no confinamento, os animais chegam a ganhar 1,8 quilo por dia. Outro benefício são os bons resultados dos cruzamentos industriais que espalham características do charolês a outros rebanhos.

Em Mato Grosso, a raça está chegando aos poucos. Em Vila Rica, município à cerca de 850 quilômetros de Cuiabá, há um rebanho de charolês. No Brasil, a porta de entrada da raça foi o Rio Grande do Sul. Com adeptos em todo o Brasil, aos poucos, o charolês chega também ao Nordeste, Centro-Oeste e Norte.

A formação da linhagem brasileira, bastante utilizada no Planalto Central e no Nordeste para cruzamento industrial com o zebu, é resultante de 3 padrões distintos: o francês, com animais de maior massa muscular; o inglês, com gado mais alto, mais comprido e mais moderno; e o argentino que é o intermediário entre os dois primeiros.

O rebanho no Brasil está estimado em 150 mil animais, dos quais pelo menos 50 mil são puro de origem (PO). As características que se destacam são a pelagem branca e o grande porte do animal, tanto na altura, como no comprimento. A estrutura óssea, musculatura, excelente rendimento de carcaça e precocidade nos cruzamentos e nos abates também integram a lista de vantagens.

O presidente da Associação de Criadores de Charolês (ABCCharolês) Joaquin Villegas enfatiza que está sendo realizado um amplo trabalho na promoção da raça em todo o Brasil. "Este ano vamos investir especialmente na Expo Londrina 2011, que acontece entre os dias 7 e 17 de abril". Segundo Joaquin, o objetivo é incrementar ainda mais o trabalho de aproximação com os criadores, perseguindo a meta de aumentar o número de expositores e de animais expostos. "O charolês é imprescindível num projeto de produção de carne de qualidade que com certeza é capaz de remunerar bem melhor o pecuarista. Trabalhamos para atingir a meta dos nossos associados". O presidente acredita no trabalho da nova direção do Núcleo de Charolês do Norte do Paraná e também na motivação dos criadores de todo o Brasil.

Em 2010, pelo menos 5 exposições pontuaram para o Ranking Nacional da Raça Charolês, que é realizado anualmente pela ABCCharolês. A tradicional criadora Annemarie Pfann, titular da Fazenda Estrela, de Guarapuava (PR), foi a grande vencedora do Ranking Nacional da Raça Charolês de 2010. Em segundo lugar aparece outra tradicional criadora, a gaúcha Rosa Maria Fleck de Oliveira, à frente da Cabanha Santo Izidro, de Dilermando de Aguiar (RS) e a terceira colocação ficou com o criador Eduardo Reinhofer, da Fazenda Campo Bonito, de Pinhão (PR).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink