Chegou o momento de distribuir as riquezas do campo no Paraná

Agronegócio

Chegou o momento de distribuir as riquezas do campo no Paraná

O encontro tem a participação de representantes de comunidade indígenas e de quilombolas, que querem resgatar o direito ao uso da terra
Por:
557 acessos
Os resultados positivos que estão sendo obtidos pelo setor agrícola, como a produção de safras recordes com índices elevados de produtividade e acréscimo de R$ 10 bilhões no faturamento bruto da agropecuária nos últimos dois anos, devem ser distribuídos com mais equidade e solidariedade no meio rural, defendeu o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, durante a abertura da 1ª Conferência Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, nesta segunda e terça-feira (7 e 8), em Curitiba.


“Não adianta o Paraná e o Brasil terem uma agricultura rica se tudo isso não for melhor distribuído. Queremos avançar na geração de riquezas, mas que elas sejam melhor distribuídas”, disse Bianchini. Segundo o secretário, a Agricultura Familiar avançou nos últimos anos com a universalização do crédito e da integração dos governos federal e estadual que proporcionou a adoção de programas de melhorias para uma vida digna no campo como habitação rural e Luz para Todos. “Mas ainda não chegamos ao paraíso”, afirmou.

A expectativa do secretário é que nessa conferência sejam apontados os caminhos para que as desigualdades no campo sejam reduzidas e que haja mais solidariedade nas conquistas obtidas até agora para fixar o homem no campo. O evento que reuniu cerca de 400 pessoas representantes de movimentos sociais atuantes no meio rural está acontecendo no Canal da Música. O encontro tem a participação expressiva de representantes de comunidade indígenas e de quilombolas, que querem resgatar o direito ao uso da terra.

Participaram do encontro o delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Paraná, Reni Denardi, o deputado federal Dr. Rosinha e os deputados estaduais Elton Welter e Luciana Rafagnin. O evento é uma promoção do Ministério do Desenvolvimento Agrário e da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.


As conclusões servirão de base para a Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário que acontecerá em Olinda (PE) entre os dias 25 e 28 de junho de 2008. A Conferência Nacional irá apontar as políticas públicas para maior distribuição das riquezas geradas no campo.

Bianchini fez um histórico das conquistas da Agricultura Familiar nos últimos anos, mas lembrou que ainda há desafios a serem superados. Segundo o secretário, o censo agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado no final do ano passado aponta um quadro melhor do que as duas décadas anteriores. Ou seja, aumentou o número de estabelecimentos rurais, reduziu o êxodo e aumentou a diversificação da produção.

Para Bianchini, a realização da conferência é fundamental para melhorar a distribuição da riqueza no meio rural. “Que os fatores importantes da economia agrícola sejam distribuídos com mais equidade”, reforçou.

Bianchini defendeu que tanto a pesquisa oficial do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) como a adoção de novas tecnologias com o auxilio do Instituto Emater de Extensão Rural estão sendo readequadas para atingir o pequeno agricultor familiar mais desassistido. “Somente a manutenção da família no campo pode responder por um Brasil Rural com gente, com cultura e com história”, afirmou. “E a preservação da biodiversidade não se faz se não houver história e cultura”, acrescentou.


COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR - Para Olívio Dambrosio, representante da Unicafes (União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária) o resgate dos investimentos no meio rural que migraram para o meio urbano passa pela organização do agricultor familiar em cooperativas.

Segundo ele, desde 2005 já foram constituídas cerca de 1.000 cooperativas da agricultura famíliar, sendo que 130 estão no Paraná. Ele falou da importância de conquistar políticas para manutenção do jovem no meio rural, de assistência à saúde aos idosos e de educação para as crianças que vivem no campo.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink