Cheiro de tomate pode proteger as culturas contra bactérias

PESQUISA

Cheiro de tomate pode proteger as culturas contra bactérias

"A aplicação desse composto permitiria ao setor agrícola ter uma nova estratégia natural para melhorar o rendimento das lavouras"
Por: -Leonardo Gottems
666 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Pesquisadores do Instituto de Biologia Celular e Molecular da Universidade Politécnica de Valência (UPV) e do Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC) mostraram que um aroma emitido pelo tomate pode proteger outras culturas contra infecções ou secas. Segundo o estudo, publicado na revista "Frontiers in Plant Science", os tomates emitem o referido composto volátil, chamado "butirato de hexenila" (HB), para resistir aos ataques de bactérias, e poderia ser usado em outras plantas. 

"A aplicação desse composto permitiria ao setor agrícola ter uma nova estratégia natural para melhorar o rendimento das lavouras", disse a pesquisadora do Instituto de Biologia Celular e Molecular (UPV-CSIC), Purificación Lisón. A especialista também ressalta que os tratamentos com este composto “protegeriam as lavouras contra estresses bióticos e abióticos de maneira simples, barata e muito eficaz”. 

Ela acrescenta que o composto é capaz de fechar os estômatos, "que é a chave para a proteção da planta", e não há produto no mercado com essas propriedades. Ela também destaca como é fácil de usar, dado que é um composto volátil, pode ser aplicado tanto por pulverização na planta como por meio de dispositivos de difusão. 

"Isso é o que demonstramos até agora, mas o potencial do complexo é enorme", acrescenta Lisón, que diz que também pode servir como barreira protetora, "não apenas em situações de seca, mas também para proteger as plantas de outras infecções causadas". por vários patógenos que entram pelos estômatos”, indica. 

O estudo acrescenta que também pode ser usado para "controlar os processos de desenvolvimento e amadurecimento", permitindo que as plantas tratadas entrem em uma espécie de "letargia" induzida, já que o fechamento estomático acarreta um atraso nos processos de desenvolvimento.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink