Chile terá que cumprir normas para exportar maçã ao Brasil
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Imagem: Pixabay

FITOSSANIDADE

Chile terá que cumprir normas para exportar maçã ao Brasil

Um dos requisitos é tratamento contra a praga Cydia Pomonella, erradicada em território brasileiro
Por: -Eliza Maliszewski
176 acessos

O Ministério da Agricultura publicou no Diário Oficial da União a Instrução Normativa 82.  A norma estabelece os requisitos fitossanitários para a importação de frutos frescos de maçã produzidos no Chile.

Entre os requisitos estão o tratamento contra as pragas quarentenárias Cydia Pomonella e Brevipalpus chilensis. A Cydia pomonella é uma praga erradicada no Brasil e sob controle oficial no país, representando uma das mais danosas para a fruticultura mundial. Já o ácaro Brevipalpus chilensis, conhecido como falso-ácaro-vermelho-chileno, tem como principal hospedeiro a uva mas também ataca outras frutas e flores.

A norma também atualiza os critérios fitossanitários e prevê a possibilidade do tratamento das cargas das frutas com Brometo de Metila na origem (antes do embarque). O Chile poderá adotar também como medida fitossanitária um Sistema de Mitigação de Risco (SMR), que envolve ações integradas aplicadas na produção, no beneficiamento e na certificação, para minimizar o risco de envio de produto contaminado ao Brasil. Esse sistema será auditado e reconhecido pelas autoridades brasileiras.

A norma começa a valer em 1º de janeiro de 2021. O Chile e Argentina são os maiores exportadores de maçã para o Brasil, sendo que os chilenos destinam, em média, 20 mil toneladas da fruta por ano.
 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink