Chineses conhecem operação de grãos no Porto de Paranaguá

Agronegócio

Chineses conhecem operação de grãos no Porto de Paranaguá

Representantes da administração do município de Ningbo foram recebidos pelo superintendente da Appa
Por:
369 acessos
Interessados em informações sobre o principal produto brasileiro, importado pelo país, representantes da administração do município de Ningbo foram recebidos pelo superintendente da Appa

Uma comitiva do município de Ningbo, na China, esteve no Porto de Paranaguá, na sexta-feira (30). Representando o Escritório Municipal de Grãos, eles foram recebidos pelo superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino. O principal interesse do grupo era a operação de grãos do Corredor de Exportação do porto paranaense.


Segundo o secretário chinês, Du Jun Bao, saber como o Porto de Paranaguá movimenta principalmente o soja interessa porque grande parte do volume desses grãos que chegam ao porto de Ningbo saem do porto paranaense. “Precisávamos ver com os próprios olhos para, no futuro, poder estabelecer parcerias ainda mais sólidas”, afirma.

Localizada na província de Zhejiang (segundo Du Jun Bao, província irmã do Estado do Paraná), Ningbo é uma cidade portuária. Como explica o secretário do Escritório Municipal de Grãos, os principais produtos operados por lá são os minérios da Austrália e os cereais – soja e milho – do Brasil. Anualmente, esse porto chinês chega a movimentar 500 milhões de toneladas de cargas. “O nosso porto, como o Porto de Paranaguá, é de múltiplo uso e está em fase de expansão e modernização. Com essa visita, nós também queremos aprender com as boas ideias para aplicar lá”, esclarece.


O que mais impressionou os chineses, no Porto de Paranaguá, foi o Corredor de Exportação. “É muito interessante ver como é possível nove terminais operarem simultaneamente. Mais interessante ainda é ver como a parceria público/ privada tem dado bons resultados ao escoamento de grãos”, conclui Bao.

Networking – A China é tanto o principal mercado de exportação dos grãos quanto de importação da indústria leve (de produtos como plásticos, eletrônicos e roupas em contêineres) no Porto de Paranaguá.

“A cada ano que passa, a China amplia a posição de potência que ocupa no mercado internacional. São grandes importadores e também exportadores. O porto de Ningbo, por exemplo, chega a movimentar 500 milhões de toneladas por ano. Portanto, também temos muito que aprender com eles. Essa troca de experiências e informações, essa abertura a novas parcerias, negócios e diálogo – uma determinação do governador Beto Richa -, é o que faz o horizonte do Porto de Paranaguá expandir ainda mais”, garante o superintendente da Appa.


De janeiro até outubro deste ano, o Porto de Paranaguá movimentou quase 38 milhões de toneladas de cargas. Dessas, segundo dados do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), 6,2 milhões foram exportadas para a China – gerando receita de quase US$ 3,8 bilhões. Somente de soja, foram 5,2 milhões de toneladas exportadas para aquele país, somando US$ 2,7 bilhões em receita cambial.

Além do soja, o açúcar e os congelados também se destacam na exportação do Porto de Paranaguá, com destino à China. De açúcar, este ano de janeiro a outubro, segundo o MDIC, foram 214 mil toneladas, o que gerou US$111 milhões. De congelados, foram 94 mil toneladas – principalmente de miudezas de frango – gerando receita de US$ 204 milhões.


Este ano, o Porto de Paranaguá importou 867 mil toneladas (um total de US$2,2 bilhões) de produtos de origem chinesa.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink