Chineses voltam a Goiás no próximo mês

Agronegócio

Chineses voltam a Goiás no próximo mês

Eles pretendem investir em todas as fases da produção agrícola
Por:
455 acessos
O secretário de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Antônio Flávio de Lima assinou este mês, protocolo de cooperação agropecuária durante visita à China, para a liberação de investimentos para o plantio de aproximadamente seis milhões de toneladas de soja no período de sete anos, montante a ser destinado ao mercado chinês com valores superiores a US$ 7 bilhões. No próximo mês devem chegar a Goiás equipes de duas empresas estatais chinesas que vão fazer um estudo aprofundado sobre a parceria com o produtor rural e também a logística.


O secretário para Assuntos Internacionais, Elie Chidiac, que integrou a comitiva goiana à China, disse que os chineses pretendem investir em todas as fases da produção agrícola. “A China está passando por uma inflação muito alta, e boa parte dessa inflação é oriunda dos produtos agrícolas; por isso eles estão querendo investir em todas as fases da produção, da logística ao porto”, explica Chidiac.


Segundo o secretário da Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, os investimentos dos chineses em Goiás devem passar de R$ 1 bilhão. Ele disse que a previsão é de que sejam fechados negócios com várias empresas chinesas dos setores automobilístico, alimentício, de tecnologia da informação, energia solar e componentes eletrônicos. “Na verdade, R$ 1 bilhão de investimentos para os chineses é muito pouco porque eles consomem milhares e milhares de grãos. Eu acho que a previsão é para muito mais que isso”, destaca Elie Chidiac.


Agricultura Familiar
O secretário para Assuntos Internacionais ressaltou que existe a possibilidade de fechamento de um acordo bilateral entre a China e o Governo de Goiás referente à agricultura familiar. “A produção chinesa chega a ser o dobro da goiana, mesmo com o inverno rigoroso, que chega a durar seis meses, e ainda a seca”, afirma Chidiac. O secretário salientou também que na China foi implantada a política de agregação de valor à produção agrícola, que confere mais rentabilidade às famílias de agricultores. “A gente espera que no próximo ano ou na próxima safra os chineses já tenham alguma atuação no Estado de Goiás”, encerra Elie Chidiac.

Mais informações: (62) 3201-5258

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink