Chuva faz menos estrago que a estiagem no Paraná

Chuva

Chuva faz menos estrago que a estiagem no Paraná

A cultura de soja é a principal do Estado.
Por:
631 acessos

Apesar do tempo chuvoso desde o início do ano e dos estragos feitos pela água nas cidades de todas as regiões brasileiras, no campo o cenário é outro. A quebra da safra de soja 2018/19 no Paraná de 15%, em relação ao registrado em 2017/18, é resultado do tempo seco desde dezembro, e não da chuva. A safra deve ser de 16,8 milhões de toneladas, abaixo das 19,12 milhões de toneladas da anterior. A cultura de soja é a principal do Estado.

“No campo, a chuva não deve impactar no resultado final”. A afirmação é de Salatiel Turra, chefe do departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), e tem como base o último levantamento das principais culturas do Paraná, de 11 de março. “No máximo, o que pode ocorrer é haver um atraso no plantio da safra de milho”, diz.

O atraso postulado seria em função das dificuldades de finalizar a colheita de soja, que cede o espaço para receber a semeadura da 2ª safra de milho. No entanto, segundo o relatório da Estimativa de Safra deste ano, dos 5.428.671 hectares destinados ao plantio da oleaginosa, restam apenas 44% para serem colhidos. E deste total, 80% da área de soja está com boa condição, 18% média e apenas 2% ruim. 71% do total estão em fase de maturação.

Turra afirma que as dificuldades para colher a soja restante podem ocorrer caso as chuvas, previstas para os próximos dias sejam muito intensas. “Mas, se continuarem com as que têm ocorrido na última semana, espaças e isoladas, não devemos ter problemas para colocar os tratores e colheitadeiras no campo”, explica.

A respeito do atraso no plantio da cultura de milho, Turra também lembra que não deve haver perdas significativas, considerando o mesmo levantamento de 11 de março. Da 2ª safra de milho, dos 2.203.985 hectares destinados à gramínea 91% já estão plantados. Destas, 93% do milho semeado apresentam boas condições e 85% da cultura está em fase de desenvolvimento vegetativo - e a água nesta fase é bem-vinda.

Já do cultivo da 1ª safra de milho, 52% da área plantada já foi colhida e da lavoura que restou, 84% encontra-se em boas condições. 80% do milho que ainda está no campo estão em fase de maturação e 20% de frutificação. As chuvas isoladas, que têm ocorrido, também não devem interferir muito no resultado final, pois não chegam a comprometer o solo de tal modo que possa prejudicar a entrada de tratores para colher.

Outras culturas
Segundo Turra, nas outras culturas como batata e feijão são em quantidade menos significativas e mesmo assim, as chuvas também não têm atrapalhado. No casa da batata (2ª safra), 93% da área destinada ao tubérculo já está plantada e deste total cultivado, 94% apresenta boas condições. 
Já a de feijão, (2ª safra) tem 99% da área destinada já plantada com 95% em condição boa e 5% média. Deste total já plantado 2% estão em fase de germinação, 82% em fase de desenvolvimento vegetativo, 13% em fase de floração e 3% em fase de frutificação


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink