Chuva

Chuva prejudica colheita do arroz, soja e milho no RS

Tais condições meteorológicas colocam em xeque a produção de milho safrinha e feijão no Brasil
Por: -Aline Merladete
141 acessos

A passagem de uma frente fria pelo Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (30) deixa o tempo bastante instável e com chuva a qualquer hora do dia em grande parte do estado gaúcho, o que deve inviabilizar totalmente os trabalhos de colheita do arroz, soja e milho. Somente na quinta-feira (3) é que o tempo começa a abrir e possibilita o retorno das atividades de campo. Esse sistema meteorológico deve ocasionar chuvas apenas sobre o Rio Grande do Sul e na metade leste de Santa Catarina, devido ao bloqueio atmosférico que ainda está sobre a região central do país. As áreas produtoras do Paraná, Mato Grosso do Sul e quase toda a região Sudeste e Centro-Oeste não serão afetadas e terão mais uma semana de tempo firme e sem chuva.

Apenas poderão ocorrer pancadas de chuvas isoladas sobre as áreas produtoras da metade norte do Mato Grosso e de Goiás, além do Pará e áreas do Tocantins, Maranhão e Piauí.

Tais condições meteorológicas colocam em xeque a produção de milho safrinha e feijão no Brasil. A falta de chuvas regulares e em bons volumes em grande parte das regiões produtoras reduz drasticamente os níveis de umidade do solo, e mantém uma condição desfavorável ao desenvolvimento das lavouras.

Como boa parte das lavouras já se encontra em fase de pendoamento, os efeitos do déficit hídrico são bem significativos. Para essas regiões, não há previsão de chuva ao longo de toda essa semana. Apenas no começo da semana que vem é que uma nova frente fria estará avançando sobre o Sul do Brasil, mas não deve levar chuvas generalizadas e em altos volumes às regiões produtoras de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

Somente no Paraná e no sul do Mato Grosso do Sul é que estão sendo previstas chuvas mais generalizadas e em bons volumes a partir do dia 08/05. Até lá, o tempo segue aberto, sem chuva e com temperaturas máximas em elevação. Isso deve agravar ainda mais a situação das lavouras de milho e feijão.

No caso das lavouras de cana-de-açúcar, café e citros, as condições ainda são tranquilas, apesar do período mais seco. Isso porque as lavouras estão em fase adiantada de maturação, e perdas na fase fenológica ao déficit hídrico são extremamente baixas e insignificantes. O tempo mais firme pode prejudicar apenas a cana-de-açúcar, cujas lavouras ainda estão em fase de desenvolvimento. Mas, por outro lado, beneficia os produtores que estão em plena colheita das lavouras. Em São Paulo, as chuvas só deverão retornar em meados da próxima semana. Até lá, o tempo segue aberto e sem nenhum previsão de chuva.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink