Chuva reduz qualidade e volume da safra

Agronegócio

Chuva reduz qualidade e volume da safra

Milho, trigo e café começam a ser prejudicados por causa do excesso de umidade
Por:
587 acessos

As chuvas registradas desde o início do mês começam a prejudicar as lavouras no Paraná. Produtores de milho, trigo e café relatam atraso na colheita e problemas de qualidade por conta da precipitação acima da média. A colheita da segunda safra de milho foi interrompida em várias regiões, pois as máquinas não conseguem entrar no campo alagado. "Estamos com 38% da área colhida, o que representa um atraso. Ao encerrar julho, este valor deveria estar se aproximando dos 50%", afirma Margorete Demarchi, agrônoma do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria Estadual da Agricultura (Seab).

As chuvas neste ano somam-se a estiagens e geadas, formando um panorama de anormalidade climática no Paraná. Segundo Margorete, o clima se tornou um fator decisivo para a atual queda na produtividade de milho. "Esta safra já começou com quebra de 25% por causa da seca nos meses de março, abril e maio. Agora, começa a haver perda de qualidade no produto final. Apesar de o milho ser resistente, uma sequência de chuvas resulta na presença de fungos, ou mesmo o apodrecimento do grão."

Em sua última estimativa, que não considera o estrago provocado pelo excesso de chuva, o Deral projetava para a safrinha de milho um resultado de 4,76 milhões de toneladas, diante de um potencial produtivo acima de 6 milhões de toneladas. "A medida que a colheita for finalizada, conseguiremos calcular o tamanho exato do prejuízo", estipula Margorete. Uma nova avaliação oficial da safra está programada para o final de agosto.

O grão do café também é apontado como suscetível à água em abundância. Ao acelerar a fermentação do grão e provocar atraso na colheita, a perda de qualidade é iminente. "Esse é um tipo de cultura para a qual não há mágica. Se for colhido com problemas, a indústria não consegue reverter a perda e oferecer um bom produto para o consumidor final", lembra Margorete.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink