Chuvas amenizam prejuízos com a agricultura na Campanha Gaúcha

Agronegócio

Chuvas amenizam prejuízos com a agricultura na Campanha Gaúcha

As chuvas favoreceram as lavouras em fase de enchimento de grão
Por: -Janice
3519 acessos
Enquanto nos primeiros meses de 2011 as chuvas ficaram abaixo do esperado em quase todas as regiões do Estado, em abril, de forma geral, foram registrados desvios positivos em relação à média mensal. As precipitações ocorridas na Campanha e na Zona Sul estão aos poucos amenizando os efeitos causados pela estiagem que há meses atingia estas regiões. Choveu, em volumes variáveis, em praticamente todos os municípios prejudicados pela estiagem.


Para os grãos foi um período de interrupções nos trabalhos de colheita das lavouras de verão mas, de maneira geral, o quadro é positivo. A colheita do arroz foi retomada após as chuvas ocorridas durante os feriados de Páscoa alcançando, no momento, 93% do total plantado e se encaminhando para o final da safra 2011, assim como a soja, cuja colheita atingiu percentual de 88% do total plantado, com os restantes 12% já maduros e prontos para a colheita.


O desenvolvimento da lavoura de feijão também é muito bom nas áreas de cultivo da 2ª safra e a colheita já atinge cerca de 46% da área estimada de 25.117 ha, com excelente produtividade. A colheita do milho também evolui dentro da normalidade na comparação com anos anteriores, chegando a 68% da área. Se por um lado as chuvas atrapalharam, em parte, a colheita, por outro deram boas condições para as lavouras plantadas mais tardiamente e que se encontram em fase de enchimento de grão.


As precipitações afetaram também a produção de hortigranjeiros, que apresentou prejuízos em áreas pontuais do Estado. Algumas olerícolas, em especial as hortaliças folhosas como a alface, tiveram severos danos nas maiores áreas produtoras, principalmente no entorno da Grande Porto Alegre, fazendo com que as quantidades aprontadas no período ficassem sem condições de aproveitamento, reduzindo drasticamente a oferta e, como consequência, havendo aumento nos preços de 87%, passando de R$ 0,67 o pé para R$ 1,25.


As informações são da assessoria de imprensa da Emater/RS-Ascar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink