Agronegócio

Chuvas deixam agricultores do Ceará esperançosos

A chuva renovou as esperanças em um bom ano de chuvas e colheita
Por: -Antônio Vicelmo
7 acessos

A chuva fina que caiu nessa terça-feira (27-12) em alguns municípios do Cariri não motivou os agricultores a plantar. Em Crato, foi registrado apenas 1mm. A maior precipitação ocorreu em Brejo Santo: 45mm. Mesmo assim, a terra não oferece condições de germinação, porque se encontra estorricada em conseqüência do verão. O técnico do escritório da Ematerce em Crato, Antônio Moliterno, orienta que é preciso esperar a caracterização do inverno.

O gerente regional do Agropolo Cariri, Adonias Sobreira, diz que a chuva dessa terça-feira não possibilita a distribuição de sementes que continuam estocadas no armazém da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) de Juazeiro do Norte.

Distribuição

No entanto, a partir desta quarta-feira, estas sementes serão levadas para os depósitos da Ematerce em cada município para serem distribuídas nas primeiras chuvas.

O Cariri, segundo Adonias, recebeu 660 mil toneladas de sementes de arroz, feijão e milho que serão distribuídas com os produtores cadastrados no programa Hora de Plantar. Esta seleção não representa nem 10% dos agricultores da região, diz o secretário do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) do Crato, Zilcélio Ferreira, acrescentando que a maioria dos agricultores utiliza grãos, comprados no comércio. “Isso é comportamento comum do pessoal do campo”.

Zilcélio também não concorda coma distribuição imediata de sementes. O STR está fazendo um levantamento das chuvas para saber se há condições de plantio. Não adianta fazer a entrega de sementes aos agricultores, sem chuva, adverte, mas admite que a chuva de ontem enche de esperanças os agricultores.

Os poucos agricultores que foram para roça no dia de ontem estão utilizando terra molhada, onde se pratica agricultura em qualquer época do ano. É o caso, por exemplo, dos brejos do Brigadeiro, localizados na periferia da cidade.

Esperança

O agricultor Raimundo Pedro consegue colher duas safras de arroz, mesmo em época da seca. A chuva dessa terça-feira não altera o ritmo do trabalho. Mesmo assim, renovou as esperanças em um bom ano de chuvas e colheita.

Acompanhado dos dois filhos, o agricultor Vicente Balbino tomou o caminho da roça. Entretanto, a área onde ele planta, também não depende de chuva. São terras encharcadas que produzem em qualquer época do ano.

Balbino está certo de que o inverno deste ano será bom e já marcou o dia para o início das chuvas. Garante que o inverno começa no dia 18 de janeiro. Sua previsão é baseada na força da lua que, segundo afirma “saiu muito forte” no dia 20. Outra experiência positiva, de acordo com Balbino, foi o fato de não ter chovido dia 8 dedicada a Nossa Senhora da Conceição.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink