Chuvas em MS serão primordiais para definir produtividade da soja
CI
Imagem: Marcel Oliveira
SOJA

Chuvas em MS serão primordiais para definir produtividade da soja

Agricultores devem seguir em alerta quanto ao clima, pragas e doenças
Por: -Lucas Rivas

Ao apontar o levantamento da safra de soja em Mato Grosso do Sul, a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MS) ressalta que o registro de chuvas neste período é primordial para definir a produtividade do grão. O levantamento da entidade indica que mais de 90% da safra em andamento, encontra-se em boas condições. Para confirmar o bom rendimento, porém os produtores devem estar atentos às chuvas de janeiro e do primeiro decêndio de fevereiro, sem se descuidar dos manejos essenciais de pragas e doenças.

“Vale lembrar que o produtor sul-mato-grossense está cumprindo seu papel no monitoramento de doenças, pragas e plantas daninhas, uma vez que as populações dessas moléstias estão sendo mantidas em níveis não prejudiciais para a boa produtividade”, explica o presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi. “Entretanto, não é hora de relaxar nos protocolos de manejo. Estamos entrando na fase mais crítica da lavoura, de enchimento de grãos, e todas as ações para controle de doenças e pragas devem ser seguidos”, completa.

Segundo a Aprosoja/MS o mês de janeiro sempre é marcado por veranicos acentuados. Esses períodos sem chuva e com altas temperaturas prejudicam de sobremaneira o enchimento de grãos, podendo matar a cultura, com o calor intenso e longos períodos de falta de chuva. Nesta situação, o fenômeno da evapotranspiração, conhecido como “suor da planta”, fica muito elevada e, consequentemente, o solo não consegue suprir a maior demanda hídrica de todo ciclo da soja. “A falta de chuva ou mesmo chuvas inexpressivas, combinadas com altas temperaturas são as maiores preocupações do produtor nesta etapa”, sinaliza Dobashi.

Por ora os números divulgados pela Associação representa um salto de 2,3 milhões, safra 2014/15 para 3,4 milhões de hectares cultivados em 2019/20. E a produtividade média que era abaixo dos 50 sacos por hectare, chegou a 56 sacos por hectare na safra passada, ou seja, em cinco safras Mato Grosso do Sul avançou praticamente 50% de sua área cultivada com soja, conseguindo incrementar a produtividade média em quase 12%.

A Aprosoja/MS estima até o momento um aumento de área plantada em aproximadamente 7,55% em relação à safra passada, passando de 3,389 milhões para 3,645 milhões de hectares. Para tanto, é esperado aumento de 2,35% em relação a expectativa do volume de produção de grãos, passando de 11,325 milhões de toneladas na safra 2019/2020 para 11,591 milhões de toneladas na safra 2020/2021. A produtividade para a safra em andamento está estimada em 53 sacas por hectare.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink