Chuvas fora de época são insuficientes para impedir ameaça de queimadas

Agronegócio

Chuvas fora de época são insuficientes para impedir ameaça de queimadas

Volume acumulado acima da média em junho não reduz o déficit do atual período chuvoso.
Por:
1448 acessos

As chuvas dos últimos dias (72 milímetros), que superaram a média para o mês (14,1 mm), não devem afastar o fantasma das queimadas em parques e áreas de preservação ambiental em Minas Gerais. Com índice pluviométrico abaixo da média histórica, o volume acumulado não é suficiente para impedir os incêndios que são ameaça recorrente à cobertura vegetal do estado na estiagem. Entre junho e novembro, o período de queimadas pode se agravar em função da diminuição na estrutura de combate imposta por reduções orçamentárias.

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semad) contará com cerca R$ 25 milhões para o combate ao incêndio – cerca de R$ 13 milhões para a contração de 10 aviões do tipo air tractor, R$ 9 milhões para convênio com a Polícia Militar, que ajuda no combate, e cerca de R$ 3 milhões para a contratação de brigadistas temporários. 

As restrições orçamentárias resultarão em rearranjos no número do efetivo para combater as chamas. De 408 contratados no ano passado, o número passará para 381 que, em vez de cinco meses, atuarão por quatro. “A estrutura não difere muito da do ano passado. Contaremos com as brigadas voluntárias para suprir a demanda da contratação temporária”, afirmou o diretor de prevenção e combate a incêndios florestais e eventos críticos da Semad, Rodrigo Bueno de Melo. Segundo ele, a redução no valor para a contratação de brigadistas se deve à necessidade de adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal.

No ano passado, as chamas atingiram 74 mil hectares de mata, o que corresponde a 2,4% da área total das unidades de conservação do estado. “É um número alto, o maior nos últimos cinco anos”, afirma. Um dos locais com maior perda foi o Parque Estadual do Rola-Moça que teve cerca de 30% de área atingidos pelo fogo – 1,2 mil hectares do total de 4 mil hectares. Rodrigo lembra que a topografia acidentada do parque e o período seco combinado com altas temperaturas contribuíram para colocar em risco o parque.

Rodrigo lembra que o mato não está completamente seco em função das chuvas dos últimos dias. “A chuva traz um alívio temporário, porque o acumulado do ano indica índices abaixo da média”, diz, lembrando que a seca teve início em 2013. No entanto, mesmo com as chuvas, pequenos incêndios atingiram no Rola-Moça, Parque Estadual Serra Verde na Região Metropolitana. As chamas também atingiram áreas no Norte de Minas. A Smad conta com dois helicópteros próprios, a Esquadrilha Guará, e com reforços de aeronaves da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

A prevenção a incêndios requer a conscientização das comunidades do entorno das áreas de preservação ambiental, trabalho que teve início em maio, conforme destaca Rodrigo. A Smad iniciou 20 Ações Comunitárias Ambientais Previncêndio (Acap), que prevê palestras e ações informativas. A Fundação de Parques Municipais (FPM) também realiza campanha de prevenção e combate a incêndios. 

“Com o tempo seco, a vegetação dos parques fica mais suscetível à propagação rápida do fogo. A campanha busca conscientizar sobre a importância de atitudes simples e como incêndios são danosos para a fauna e flora de nossas áreas verdes”, conta Karine Paiva, presidente da FPM. Serão afixadas faixas educativas nos parques com históricos de queimadas e haverá mobilização nos comércios e residências próximas, com distribuição de materiais informativos.

De acordo com Tempo Clima PUC Minas, a partir de meados de junho, a tendência é redução de chuva em Belo Horizonte, o que deverá se manter até setembro. “Em relação à prevenção de incêndios, a tendência climatológica mostra que teremos período mais seco, devido ao baixo volume de chuva registrado no período chuvoso, que equivale aos meses de outubro de 2015 a março deste ano”, afirma a meteorologista do Tempo Clima PUC Minas, Natália Cantuária. 

Em janeiro, a precipitação foi de 328,9 mm, índice acima da média para o mês (296,3 mm). Em fevereiro, março, abril e maio, ficou abaixo, sendo que em maio não choveu na capital.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink