Chuvas já causam prejuízos à colheita da soja no Mato Grosso

Agronegócio

Chuvas já causam prejuízos à colheita da soja no Mato Grosso

A situação é preocupante também em função das precárias condições das estradas vicinais
Por:
2493 acessos

As sucessivas chuvas que caíram sobre o Mato Grosso nos últimos dias já atrapalham a colheita de soja em várias regiões do estado e podem gerar prejuízos aos produtores. A situação é preocupante também em função das precárias condições das estradas vicinais, ligando as lavouras às rodovias.

Conforme estimativa de colheita de soja da safra 2010/11 de soja, Mato Grosso colheu 1,3% da área, uma evolução semanal pequena, de apenas 0,6 pontos percentuais, devido as chuvas que tem atrapalhado a colheita. De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a atual safra está atrasada em relação ao ciclo anterior em 5,1 pontos percentuais.

Segundo os produtores, os municípios mais prejudicados com o excesso de chuvas no período de colheita estão localizados no norte. As áreas de influência da BR-163 - abrangendo os municípios de Diamantino, Lucas do Rio Verde, Ipiranga, Sinop, Sorriso, Nova Mutum e Tapurah, além de Sapezal e Campos de Júlio - são as mais afetadas.

Fonte do Sindicato Rural de Sinop informou que atraso na colheita poderá comprometer o planejamento de safra para os agricultores que pretendem plantar o milho safrinha. O plantio d o milho acontece até o final de janeiro, mas quem não colher a tempo não terá como plantar. As tradings já acionaram o botão de alerta. "Ainda não estamos recebendo soja ardida, mas se as chuvas continuarem, a situação pode ficar complicada, principalmente nas lavouras que já foram dessecadas", disse o representante de uma empresa que exporta soja para a Europa.

As chuvas contínuas que afetaram as lavouras na região Norte do estado deixaram os produtores apreensivos. De acordo com o Sindicato Rural de Sorriso, os últimos dias de chuvas intensas já começaram a contabilizar prejuízos para produtores da região. Além das dificuldades de colheita, os produtores estão com a soja atingida pelas doenças fúngicas. A região, que permanecia livre da ferrugem asiática, nesta safra já começou a apresentar focos da doença na maioria das propriedades. .

Na região oeste do estado, a situação não é diferente. De acordo com o presidente do Sindicato rural de Campos de Júlio, Ademir Rostirolla, as estradas estão todas degradadas e em péssimas condições de tráfego. "Enviamos um ofício à Secretaria de Infraestrututura do estado em dezembro, alertando para a situação das estradas vicinais. Mas até agora não tivemos um retorno e a situação está cada vez pior".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink