Ciência tenta combater mosca-da-fruta

PREVENÇÃO

Ciência tenta combater mosca-da-fruta

"Nossa conclusão não tem uma aplicação direta para o controle desta praga, mas a informação poderia eventualmente ser útil"
Por: -Leonardo Gottems
332 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

 Pesquisadores argentinos do Instituto Leloir e do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET), ambos situados na Argentina, indicou várias características capazes de auxiliar o combate da mosca da fruta. De acordo com o principal autor do estudo, o Dr. Luís Alberto Quesada Allué, chefe do Laboratório de Bioquímica e Biologia Molecular do Instituto Leloir (FIL) e pesquisador do CONICET, a identificação é um grande passo para combater a praga. 

“Nossa conclusão de fisiologia básica não tem uma aplicação direta para o controle desta praga, mas a informação poderia eventualmente ser útil para as fábricas que geram milhões de moscas estéreis masculinas (na Argentina e em outros países) para se deslocar e ajudar a diminuir a população”, comenta. 

Além dos movimentos corporais e dos sinais químicos, ou seja, os feromônios, essas moscas são reconhecidas pela vibração das asas e das manchas, uma variável que contribui para o acasalamento. No entanto, os pesquisadores conseguiram descrever como essa coloração amarronzada das manchas nas asas se forma, o que pode ser usado para evitar o acasalamento entre as moscas. 

“Para a nossa surpresa, descobrimos que uma proteína que permite a formação de asas marrons douradas permanece ativa na cutícula, mesmo depois de as células que as deram origem desaparecerem”, explica. 

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), todos os anos a produção mundial de alimento é reduzida de 20% a 40% devido à pragas e doenças como essa. Para o diretor-geral da entidade, José Graziliano Silva, na “era globalizada de hoje, a tarefa de prevenir a propagação de pragas e doenças é mais complexa e mais importante do que nunca.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink