Agronegócio

Citros/Cepea: Demanda industrial impulsiona valor da pera no mercado de mesa

A laranja pera de mesa tem mês com o menor preço do ano, devido ao pico de safra e ao típico enfraquecimento da demanda por conta do frio.
Por:
669 acessos

Apesar de julho ser usualmente o mês com o menor preço do ano para a laranja pera de mesa, devido ao pico de safra e ao típico enfraquecimento da demanda por conta do frio, em 2016, os valores da fruta devem se manter elevados. Segundo pesquisadores do Cepea, a forte demanda industrial pela variedade tem diminuído a disponibilidade da pera no mercado interno, mesmo com a intensificação da colheita no estado de São Paulo.

No entanto, ainda que o mercado esteja aquecido, os valores da fruta apresentaram ligeira queda nesta semana (segunda a quinta-feira), com a variedade comercializada a R$ 19,52/cx de 40,8 kg, na árvore, valor 1,3% menor o da semana anterior. Já os preços da lima ácida tahiti, que tiveram forte recuo de 49,2% de maio a junho, retomaram o fôlego nos últimos dias. Pesquisadores do Cepea comentam que a interrupção da colheita na semana passada controlou a oferta e impulsionou os valores da fruta. A média de comercialização da tahiti, na parcial desta semana, foi de R$ 34,31/cx de 27 kg, colhida, expressivo aumento de 19,2% frente à anterior. Para grande parte dos agentes consultados, os preços devem se manter em alta em julho, devido à baixa oferta da variedade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink