Classificação do arroz de MT é pauta de reunião em Brasília

Agronegócio

Classificação do arroz de MT é pauta de reunião em Brasília

Na pauta da reunião está o problema dos produtores de arroz do MT em relação à classificação do produto
Por:
3 acessos

Os presidentes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Homero Pereira, do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (Seder/MT), Décio Coutinho e o superintendente Federal de Agricultura de Mato Grosso (SFA/MT), Paulo Bilégo, se reúnem nesta segunda-feira (09-05), às 16h, com o secretário nacional de Defesa Sanitária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Gabriel Maciel, em Brasília.

Na pauta da reunião está o problema dos produtores de arroz do Mato Grosso em relação à classificação do produto. O Cirad 141, até então classificado como tipo "longo fino", foi desclassificado, o que gerou queda de mais de 50% no preço pago ao orizicultor no Estado.

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o arroz Cirad 141 ocupa 55% das áreas de produção do cereal em Mato Grosso. A recente decisão do Mapa de alterar a classificação do Cirad ameaça provocar um caos na orizicultura mato-grossense.

Pela nova cotação, o preço estipulado pelo Governo para aquisição do Cirad 141 cai de R$ 20,70 para R$ 13,00, valor não suficiente para pagar o custo de produção, que gira em torno de R$ 16,30, segundo o presidente da Associação dos Produtores de Arroz de Mato Grosso (APA), Ângelo Carlos Maronezzi.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink