Agronegócio

Clima afeta lavoura de soja em Dourados (MS)

Técnicos acham cedo para quantificar eventuais perdas de produtividade
Por: -Cícero Faria
1 acessos

Técnicos reunidos nessa quinta-feira (07-12) na Comissão Regional de Estatísticas Agropecuárias (Corea), do IBGE, avaliaram que ainda é cedo para serem quantificadas eventuais perdas de produtividade da soja no município de Dourados (MS) devido à falta de chuvas. A área plantada, estimada inicialmente em 150 mil hectares, foi revista para cima, e calculada em 155 mil ha.

O clima na região tem se comportado de forma irregular nas últimas três semanas, ocorrendo períodos de seca em algumas regiões, o que prejudicou lavouras isoladas. Por isso, nessa quinta-feira a assistência técnica foi cautelosa ao falar em prejuízos, preferindo esperar o mês de janeiro para ter uma noção mais precisa dos efeitos do clima na sojicultura.

Segundo foi discutido na reunião do IBGE, a soja plantada mais tarde sofreu com o veranico. Os agricultores preferiram arriscar o cultivo mesmo sem umidade. Quando ocorreram chuvas e fracas e isoladas, as sementes germinaram, mas enfrentaram, em seguida, o calor e a falta de água, causando perdas em determinadas regiões do município.

No geral, de acordo com os técnicos, as lavouras se desenvolvem bem porque tem ocorrido chuva nos últimos dias, embora mal-distribuída. Na segunda-feira foram registrados 17 milímetros na estação da Embrapa Agropecuária Oeste, localizada a cinco quilômetros de Dourados. Perto da cidade, algumas lavouras receberam 60 mm na mesma hora. Por isso, foi mantida a previsão de rendimento de 2.700 quilos por hectare, correspondente a 45 sacas.

Outras

O IBGE fez um levantamento das outras culturas de verão. O milho teve área ampliada de 1.500 para 1.800 hectares e rendimento de 4.200 quilos/ha; o sorgo – 1ª safra – apareceu nas estatísticas com área de 810 hectares, de onde deverão ser colhidos 4.200 quilos/ha. O produto é utilizado na composição da ração animal.

Outra cultura que agora passa a ser acompanhada pelo IBGE é a cana-de-açúcar, já que a primeira usina de açúcar e álcool de Dourados está em fase de implantação na região de Itahum. A área plantada no município foi projetada em 5.000 hectares, e esperada produtividade de 98 toneladas/ha. Se confirmando esse resultado, serão colhidas 490 mil toneladas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink