Clima deve derrubar safrinha de algodão em Mato Grosso; lavouras com 37 dias sem água

Agronegócio

Clima deve derrubar safrinha de algodão em Mato Grosso; lavouras com 37 dias sem água

Mato Grosso pode ter em algumas lavouras de algodão 2ª safra uma quebra de 20% na produtividade.
Por:
773 acessos

Mato Grosso pode ter em algumas lavouras de algodão 2ª safra uma quebra de 20% na produtividade. A falta de chuva é o principal motivo para a projeção. O Estado se prepara para iniciar a colheita da cultura e em algumas propriedades algumas áreas da lavoura chegaram há ficar 37 dias sem água.

A área destinada ao algodão em Mato Grosso na safra 2015/2016 ficou em 606,97 mil hectares, um incremento de quatro mil hectares em relação às projeções anteriores. Levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), destaca que apesar do aumento da área, a produtividade foi reajustada negativamente para 255,15@ por hectare de algodão em caroço.

A falta de chuva em Mato Grosso é considerada pelos produtores como um dos grandes responsáveis pelo rendimento baixo das lavouras.

"É um ano com problemas de clima para todas as culturas. A nossa perspectiva é um recuo de aproximadamente 5% na produtividade”, comentou o presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Gustavo Piccoli, durante a inauguração do Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica do Núcleo Regional de Campo Verde, na sexta-feira, 17 de junho.

O produtor de Campo Verde, Herlan Meinke está começando a colheita do algodão 1ª safra semeado em dezembro. Em sua propriedade dos 500 hectares plantados 220 hectares são de algodão primeira safra e 280 de algodão 2ª safra. A princípio, comenta ele, a 1ª safra aparenta estar melhor que o constado em 2015. “Porém, a 2ª safra ainda está indefinida. O maior impacto do clima foi na 2ª safra, cuja colheita começará em agosto. Nela creio uma queda de 20% na produtividade”. 

Herlan comenta, ainda, esperar na 1ª safra do algodão uma produtividade igual a verificada no ciclo passado de aproximadamente 250@ por hectare.

Por 37 dias uma área em torno de 80 a 100 hectares na propriedade do produtor Cesar Xavier, em Campo Verde, não viu chuva. “Impacta mais na 2ª safra. Ainda não dá para mensurar o quanto de perda de produtividade posso ter, até porque às vezes pode superar ou não as nossas expectativas, ou seja, posso estar esperando redução e não ter”.

Comercialização

De acordo com levantamento do Imea, Mato Grosso até o mês de maio comercializou 51,8% da produção de pluma de algodão prevista.

Na sexta-feira, 17 de junho, a arroba da pluma de algodão em Mato Grosso variou entre R$ 81,82 em Sapezal e R$ 84,69 em Alto Garças.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink