Clima indica uma safra de café com qualidade no Brasil

Café

Clima indica uma safra de café com qualidade no Brasil

Colheita do Brasil a caminho em 2018 deve apresentar grãos com boa qualidade
Por:
120 acessos

Mais do que uma safra recorde de café, a colheita do Brasil a caminho em 2018 deve apresentar grãos com boa qualidade, favorecidos pelas condições climáticas até o momento, disse o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), nesta terça-feira.

“Mais importante que a quantidade é a qualidade. Está vindo uma safra com qualidade... Tudo ajudou, choveu na época certa, na quantidade certa”, declarou Ricardo Silveira, antes do início do evento da Abic que marcou a 14ª edição dos Melhores Cafés do Brasil, da safra 2017.

“O que era da mão de Deus, Ele ajudou. Agora é a mão do homem no processo, envolve a colheita e a secagem dos grãos”, completou ele. Para efetivar uma safra de qualidade, cuja colheita está só começando —intensificando-se a partir de maio e junho, dependendo da região—, o setor precisaria de tempo seco na época dos trabalhos de campo.

Ele comentou que há produtores colhendo em Rondônia, que se destaca pela produção de café robusta, e alguns poucos no Cerrado de Minas Gerais, onde ele atua. Silveira é produtor de café em Patos de Minas e também dono da torrefadora Café Cristal.

O cafeicultor lembrou que a Abic não faz projeções sobre o tamanho da safra, e ponderou que os números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) parecem adequados.

Em seu primeiro levantamento para a temporada deste ano, divulgado em janeiro, a Conab estimou a produção cafeeira do país, maior produtor e exportador mundial, entre 54,44 milhões e 58,51 milhões de sacas de 60 quilos, alta de 21 a 30 por cento sobre 2017 e superior também ao recorde anterior, de 51,37 milhões de sacas, registrado em 2016.

Além de um aumento de até 30 por cento na produção de café arábica, que está no ano de alta do ciclo bianual, a safra de robusta (conilon) também pode saltar na mesma proporção, segundo a Conab, com uma recuperação das lavouras após anos de seca, especialmente no Espírito Santo.

Isso pode permitir que a indústria de torrado e moído eleve a utilização de robusta (mais barato que o arábica) no “blend”, disse ele, ao ser questionado.

“É natural que aumente o percentual do conilon, mas nada que seja grande. A indústria aprendeu e não vai mudar muito, pois quando faltou (conilon) e teve dificuldade”, disse ele, em referência ao período de seca severa que reduziu a safra brasileira do conilon há alguns anos, que levou até a pedidos do setor para liberação da importação do café verde.

Ele explicou também que é um problema alterar muito a composição do “blend”, pois o consumidor percebe e pode mudar de marca.

No passado, o uso do conilon na composição do torrado e moído variou de 20 a até 50 por cento, comentou Silveira.

O conilon é mais utilizado na fabricação de produção de café solúvel.

Aproximar o setor

Silveira disse que a associação está com iniciativas para ampliar o número de pequenos torrefadores na Abic, com foco em valorizar a fabricação café de boa qualidade.

Entre as ações está a redução da mensalidade na Abic em quase pela metade para atrair as pequenas empresas.

No lado da produção de café, a associação que está completando 45 anos em 2018 tem realizado concursos para estimular cafeicultores a investirem em grãos de melhor qualidade e maior valor agregado, cujo consumo está crescente, muito mais do que a demanda geral por café no Brasil.

“Buscamos aproximar os elos da cadeia”, disse ele, antes do início do concurso que reuniu grandes torrefadores, como o líder no país 3corações, e produtores de café de alta qualidade vencedores do concurso promovido pela Abic.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink