Clima mais frio prejudica pastagens nativas gaúchas
CI
Agronegócio

Clima mais frio prejudica pastagens nativas gaúchas

Grande maioria das áreas de aveia, azevém e trevo já foi implantada
Por:

A semana que passou apresentou um quadro climático com a predominância de temperaturas baixas, ocorrência de geadas e chuvas distribuídas na maioria dos municípios do Estado. Neste contexto, em locais onde ocorreu geadas, as áreas de pastagens nativas estão mais fibrosas, perdendo qualidade e quantidade de forragem. De acordo com o informativo conjuntural elaborado pela Emater, mesmo com a redução da qualidade e oferta destas forragens para os rebanhos, especialmente os bovinos de corte e ovinos, em muitas propriedades, estas forrageiras nativas são a principal reserva de alimento para os rebanhos gaúchos.
 
Creditos: Nabor Goulart

De maneira geral, em todas as regiões, as pastagens cultivadas de inverno, principalmente aveia, azevém e trevos, foram implantadas e, em alguns municípios, estão em fase de germinação e desenvolvimento inicial. Em outros locais, onde os produtores realizam a integração lavoura-pecuária, as pastagens cultivadas de inverno, estabelecidas na resteva das lavouras de soja e milho, estão apresentando bom desenvolvimento vegetativo e uniformidade. As pastagens cultivadas perenes de inverno, como trevos e cornichão, também estão apresentando bom desenvolvimento, sendo que alguns produtores já possuem pastagens em condições de utilização no sistema de pastoreio direto.

Em muitas propriedades, os criadores já iniciaram a utilização de pastagem de inverno, principalmente pastagens de aveia, que é a espécie mais precoce cultivada no solo gaúcho. Em alguns locais, o excesso de umidade nos campos afetou o desenvolvimento das pastagens cultivadas, prejudicadas também pelo intenso pisoteio dos animais.

Com o retorno do sol, foi possível avançar na implantação do trigo, chegando a 35% do total projetado para esta safra, que é de 1.153.223 hectares. Regiões importantes como Santa Rosa e Ijuí já alcançam 45%. O plantio, de maneira geral, mesmo com o recente aumento, está atrasado em relação ao mesmo período do ano anterior, assim como em relação à média dos últimos anos, porém não impacta na projeção de safra até o momento. Com a perspectiva de tempo seco e ensolarado até o fim de semana, o plantio deverá ter um ritmo mais acelerado. Dos 35% do total semeado com trigo, 33% está em germinação e desenvolvimento vegetativo.

Cerca de 95% das lavouras da safrinha de feijão já foram colhidas, surpreendendo na produtividade, que são consideradas positivas devido à tecnologia na condução das lavouras e pela condição climática favorável, à exceção de algumas áreas que tiveram problemas na floração em razão do excesso de umidade.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink