CMN analisa retomada de leilão de opções de café nos próximos dias


Agronegócio

CMN analisa retomada de leilão de opções de café nos próximos dias

Por:
1 acessos
(09/05/2003 - Coffee Break) -Parece que a novela da retomada dos leilões de opção vai chegando ao fim. Em uma reunião realizada na quarta-feira, dia 7 de maio, entre os ministros Antônio Palocci (Fazenda) e Roberto Rodrigues (Agricultura), foi definido que as opções deverão ser aprovadas na próxima semana. O ministro Palocci apontou que o CMN (Conselho Monetário Nacional) deverá ser convocado, de forma extraordinária, na terça ou quarta-feira da próxima semana (dia 13 ou 14 de maio) para tratar do lançamento das opções. A reunião extraordinária teria sido uma solicitação de Roberto Rodrigues que considerou longo demais o prazo de espera de definição do assunto até a próxima reunião ordinária, que ocorrerá apenas no dia 29. Apesar de dar como certa a volta do programa, o ministro não antecipou o qual seria o nível de preços de exercício a ser praticado. Palocci ressaltou que a fixação do valor de referência será de competência exclusiva do Conselho Monetário.

Varginha —A Estação de Avisos Fitossanitários do Ministério da Agricultura, em Varginha, emitiu seu mais recente boletim de avisos, referente ao mês de abril. O boletim, assinado por Roque Antônio Ferreira, Leonardo Bíscaro Japiassú, Antônio Eustáquio Miguel e Antônio Wander R. Garcia, aponta que o índice pluviométrico de abril foi de 53,6 milímetros, contra uma média histórica de 71,7 milímetros. No final do mês, o armazenamento de água no solo foi de 56,4 milímetros, nível considerado normal para a região, sendo superior aos últimos quatro anos. A temperatura média do mês foi de 20,7º C abaixo da média histórica. A temperatura máxima absoluta foi de 29,2o C e a mínima 11,4o C. A evapotranspiração potencial, por sua vez, atingiu 65,4 milímetros. O boletim ressalta que a ferrugem, nas lavouras não controladas, localizadas na Fazenda Experimental de Varginha, apresentou índice de infecção médio de 29,0%, variando de 12% a 47,0%. Desse modo, o controle curativo com fungicidas foliares curativos poderá ser utilizado em casos específicos. A cercóspora, por outro lado, teve índice de infecção médio de 8,4%, sendo que a phoma apresentou uma presença considerada baixa. Quanto às pragas, o bicho mineiro teve nível de infestação média baixo, assim como o ácaro vermelho. A broca, por sua vez, na área amostrada, teve índice de ataque baixo, sendo, contudo, aconselhável o monitoramento e controle caso o nível de ataque exceda 3,0%, em lavouras com colheita tardia. O crescimento vegetativo no mês atingiu a marca de 6,5 nós por ramo, contra 7,2 em abril de 2002. As amostras de frutos colhidos da safra pendente apresentaram frutos menores e maior incidência de grãos chochos, em função da baixa precipitação e alta temperatura ocorrida no mês de fevereiro (período de enchimento dos frutos).

Quênia —A falta de incentivo político seria uma das principais razões para as constantes quedas na produção cafeeira do Quênia. A opinião é de Andrew Muiruri, presidente do Fundo de Desenvolvimento da Cafeicultura do Quênia. De acordo com o dirigente, o poder executivo, através do Ministério da Agricultura, não liberou os créditos necessários para que os produtores pudessem atravessar o período de crise. Muiruri ressaltou que em 2001 havia sido efetivada a implementação de um fundo que garantiria uma sustentação aos cafeicultores. No entanto, dois anos depois, o fundo ainda não saiu do papel e muitos produtores se viram na obrigação de limitar os tratos culturais e, até mesmo, abandonar suas lavouras.

Crescimento —A Dunkin Donuts, uma das principais redes varejistas de café dos Estados Unidos, pretende dobrar suas vendas de café até 2005. A assessoria da empresa destacou que a projeção de crescimento das vendas das cafeterias da marca variam de 5% a 9% para este ano. Atualmente, a Dunkin comercializa 2,6 milhões de xícaras por ano, sendo que a marca possui 3.600 lojas espalhadas por todo os Estados Unidos.

Costa Rica —As exportações da Costa Rica, ao longo de abril, atingiram 257.878 sacas, segundo o Icafé (Instituto de Café da Costa Rica). Esse total é 1,66% menor que o registrado em abril do ano passado, quando 262.238 sacas haviam sido embarcadas. Desde o início do atual ano safra, outubro de 2002, o país registrou a remessa de 1.125.368 sacas ao exterior, 11,71% a menos que o verificado no mesmo período da safra passada, 1.274.661 sacas. A produção costarriquenha, em 2002/03, segundo o Instituto deverá atingir 2,147 milhões de sacas, sendo que as exportações deverão somar 1,932 milhão de sacas. Em 2001/02, o país teve um total de embarque de 2,018 milhões de sacas.

Alta de 12% —A Guatemala teve 476.438 sacas exportadas no mês passado, de acordo com estatísticas da Anacafé (Associação Nacional de Café da Guatemala). Esse total é 12,29% superior ao registrado me abril do ano passado (424.293 sacas). Desde o início do atual ano safra, o país efetuou a remessa de 2.135.334 sacas ao exterior, contra 1.752.720 sacas do mesmo período do ano safra anterior — alta de 21,83%. Do total remetido na safra atual, cerca de 500 mil sacas seriam relativas à produção do ano anterior. Em 2001/02, a Guatemala registrou o embarque de 3,308 milhões de sacas, contra 4,415 milhões de sacas de 2000/01. As baixas nas colheitas, segundo a Anacafé, seriam reflexo dos preços deprimidos no mercado internacional, que fez com que os tratos culturais fossem diminuídos drasticamente.

Em destaque

*O Ministério da Agricultura da Nicarágua informou que o país realizou, em abril, a exportação de 88.407 sacas. Esse volume é 24,25% inferior ao verificado no mesmo mês do ano passado, quando 115.181 sacas haviam sido remetidas ao exterior. Desde o início do atual ano safra até o final de abril, o país registrou o embarque de 466.363 sacas, total 6,18% menor que o aferido no mesmo período da safra anterior — 497.098 sacas.

*As indústrias de torrefação dos Estados Unidos processaram em 2003, até a semana terminada em 26 de abril, um total de 6,245 milhões de sacas, 0,89% a mais que as 6,190 milhões de sacas processadas no mesmo período do ano passado (6,190 milhões de sacas). A informação é da Coffee Publications Incorporation, que apontou que na semana terminada em 26 de abril, as indústrias locais processaram 330 mil sacas.

Fonte: Coffee Break (www.coffeebreak.com.br)


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink