CNA contesta novo cálculo do crescimento da agropecuária
CI
Agronegócio

CNA contesta novo cálculo do crescimento da agropecuária

Ao contrário do governo, a CNA alega que a agricultura e a pecuária tiveram retração
Por:

A Confederação da Agricultura e da Pecuária do Brasil (CNA) contestou o novo cálculo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostrou que o crescimento da agropecuária brasileira em 2006 foi maior do que se pensava. Dados divulgados nessa quarta-feira (28-03) mostram que o setor cresceu 4,1%, e não 3,7%.

Ao contrário do governo, a CNA alega que a agricultura e a pecuária tiveram retração em 2006. Conforme estudo divulgado pela entidade no último dia 22, o PIB da agropecuária registrou queda de 2,12%. A agricultura ficou estagnada e caiu 0,26%. Já a pecuária teve desempenho bem pior e despencou 4,45% no último ano. “Para o IBGE, o ano foi de euforia no campo, só que, na verdade, qualquer produtor rural quer apagar 2006 da memória”, aponta Cotta.

A divergência entre os dados oficiais e os números da CNA ocorre por causa de diferenças na metodologia das duas pesquisas. O IBGE levou em conta apenas o volume produzido e usou preços de 2005 para calcular a variação do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária. Já a CNA considerou a queda na cotação dos produtos agrícolas e de origem animal ao longo do ano passado.

Conforme a entidade, o preço médio pago aos produtores rurais caiu 5% em 2006. “De nada adianta a produção aumentar e os preços caírem”, avalia Cotta. “Para o produtor, a renda caiu no último ano.”

Os dados divulgados pelo IBGE sugerem que 2006 foi um ano de recuperação para a agropecúaria, que tinha registrado crescimento de 1% em 2005 por causa de quebras de safra de diversos produtos e de ocorrências de febre aftosa no Mato Grosso do Sul e no Paraná. Cotta, porém, discorda dessa idéia. “A recuperação, na verdade, está começando agora”, ressaltou. “Esse processo não vem do ano passado.”

A Agência Brasil procurou o Ministério da Agricultura, mas foi informada de que apenas o novo ministro, Reinhold Stephanes, falaria sobre o PIB da agropecuária. No entanto, segundo a assessoria de imprensa, Stephanes passou o dia em reunião na Casa Civil e não poderia ser contatado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink