CNA espera que OMC crie soluções de acesso a mercados

Agronegócio

CNA espera que OMC crie soluções de acesso a mercados

No Seminário organizado pela FUNAG do Ministério das Relações Exteriores, sob o tema “O Futuro da OMC: Riscos e Oportunidades”, a SRI da CNA.
Por:
292 acessos

No Seminário organizado pela Fundação Alexandre Gusmão (FUNAG), do Ministério das Relações Exteriores, sob o tema “O Futuro da OMC: Riscos e Oportunidades”, a Superintendente de Relações Internacionais (SRI) da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Alinne B. Oliveira, apresentou temas prioritários de interesse dos agricultores brasileiros na negociação multilateral. Ela lembrou o desafio do setor agrícola de garantir a alimentação de 9 bilhões de pessoas, segundo as projeções para 2050.

Para Alinne Oliveira é preciso ter um acordo capaz de equilibrar as relações comerciais agrícolas entre os países e que permita atender as demandas mundiais por maior produção de alimentos com crescimento sustentável. Ela enfatizou que a falta de avanço nas negociações vai permitir aos países aumentarem seus subsídios “distorcivos aos produtores, como já acontece com a Índia e a China”.

A Superintendente da SRI destacou, durante sua participação no Seminário, que, além de obter solução para os desafios de apoio doméstico e acesso a mercados, a Organização Mundial do Comércio (OMC) precisa “atualizar procedimentos para incorporar novos temas de interesse para agricultura, como novas tecnologias, uso de padrões privados como barreiras, além da criação de um mecanismo para monitorar as políticas agrícolas dos membros da OMC”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink