CNA estima queda de 4,3% no VBP deste ano
CI
Agronegócio

CNA estima queda de 4,3% no VBP deste ano

As estimativas para 2006 apontam para o valor de R$ 166,5 bilhões
Por: -Giuliano

Os cálculos do faturamento, ou do Valor Bruto da Produção (VBP), da agropecuária projetam uma queda de 4,3% para 2006. Enquanto, em 2005, a receita da agropecuária atingiu R$ 174 bilhões, as estimativas para 2006 apontam para o valor de R$ 166,5 bilhões. De acordo com dados da Confederação da Agricultura e da Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (CEPEA / USP), a redução do faturamento decorre de motivos já conhecidos pelo mercado, como a queda dos preços de alguns produtos e também da valorização cambial, que deprecia os preços internos de algumas commodities.

A redução do VBP tem maior impacto na pecuária que, em 2005, faturou R$ 72,1 bilhões e, em 2006, sinaliza para R$ 67,6 bilhões, registrando queda de 6,27%. Mas esses números ainda refletem a redução dos preços da carne bovina, ocorrida no primeiro semestre do ano. Em junho, houve recuperação, invertendo a tendência de queda no faturamento pecuário.

A carne bovina obteve o maior valor do segmento pecuário, registrando faturamento de R$ 29,2 bilhões, em 2006, contra R$ 31,2 bilhões, em 2005. Em valores absolutos, a carne bovina também apresenta maior queda do segmento, estimada em R$ 2 bilhões.

As estimativas para a agricultura indicam que o faturamento bruto do segmento poderá atingir R$ 98,8 bilhões. Em valores absolutos, o faturamento de 2006 registra perdas de R$ 3,0 bilhões em relação a 2005, quando a receita bruta atingiu R$ 101,9 bilhões, revelando queda de 2,98%.

Dentro do segmento, o faturamento de grãos e fibras pressiona as receitas da agricultura. Embora registre crescimento de 4,6% da produção, atingindo 117,9 milhões de toneladas, em 2006, o faturamento bruto chega a R$ 46,67 bilhões. A queda foi de 13,72% em relação a 2005, quando as receitas somaram R$ 54,09 bilhões.

A soja é o produto que apresenta maior perda no faturamento em valores absolutos. Em 2005, faturou R$ 26,3 bilhões e as estimativas para 2006 apontam para R$ 22,3 bilhões, com redução de R$ 4,0 bilhões na receita bruta da commodity. Essa queda de faturamento pode ser amenizada pela recuperação dos preços da soja, especialmente em outubro. As expectativas positivas para o consumo mundial do milho e a escassez do trigo no mercado internacional influenciaram positivamente as cotações da soja que, mesmo em período de colheita e de produção recorde nos Estados Unidos, registrou sucessivas altas nas cotações em Chicago.

O VBP do milho apresentou aumento de 2,2% em relação ao ano passado. Em 2005, o faturamento bruto da commodity chegou a R$ 10,3 bilhões. Para 2006, as projeções apontam para R$ 10,6 bilhões, como resultado do aumento da produção. A escassez do milho no mercado internacional, conjugada às boas expectativas de demanda mundial, principalmente para atender à produção de etanol, elevaram as cotações do milho no mercado internacional para os maiores patamares desde 2004.

No mercado interno, apesar da intervenção do Governo Federal, com a realização de leilões de PROP, PEP e VEP, os preços continuaram firmes, já que o período é de formação de estoques pelos compradores. Tais fatores trazem a perspectiva de recuperação dos preços do milho, que poderá encerrar o ano com um VBP ainda melhor. O trigo é outra commodity que pode refletir positivamente no resultado do VBP em 2006. Apesar da queda do VBP do trigo em 25,2%, quando comparado ao ano passado, a escassez do produto no mercado internacional tem forçado a escalada de preços, que já atinge valores recordes. O mercado interno já sente os reflexos desta alta de preços no mercado internacional, já que o principal fornecedor de trigo para o Brasil é a Argentina, cuja formação de preços é tomada no mercado internacional.

As estimativas do VBP do algodão indicam o faturamento de R$ 2,5 bilhões em 2006, com queda de 29,4% em relação a 2005, quando o faturamento atingiu R$ 3,5 bilhões. Esse resultado decorre não apenas da redução dos preços, como da queda da produção do algodão. No entanto, as boas perspectivas do mercado internacional do algodão apontam para a recuperação dos preços, o que contribuirá positivamente para o resultado do VBP da agricultura.

Os demais produtos que compõem o VBP somam o faturamento de R$ 52,2 bilhões, contra R$ 47,84 bilhões alcançados no ano passado, o que representa um incremento de R$ 4,8 bilhões no faturamento do segmento da agricultura. Tal desempenho decorre principalmente das boas expectativas de mercado da laranja e da cana-de-açúcar.

As boas perspectivas de preços que o mercado delineou para algumas culturas sinalizam que o resultado do VBP de 2006 poderá ser melhor que as estimativas iniciais. No entanto, não atingirá o desempenho obtido em 2005 e o resultado projetado ainda é insuficiente para cobrir as perdas dos últimos anos. As informações são da assessoria de imprensa da CNA.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink