CNPC define grupo de trabalho em poucos dias

Agronegócio

CNPC define grupo de trabalho em poucos dias

O CNPC receberá nos próximos dias e divulgará imediatamente os nomes dos membros do grupo de trabalho
Por:
1 acessos

O Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), entidade de âmbito nacional que engloba todos os elos da cadeia da pecuária bovina, receberá nos próximos dias e divulgará imediatamente os nomes dos membros do grupo de trabalho (GT) que irá discutir a situação e propor soluções para a polêmica questão da insatisfatória remuneração paga aos produtores pela arroba do boi gordo.

A idéia, já aprovada, é compor um grupo de trabalho com três representantes dos pecuaristas e três representantes da indústria para promover o diálogo entre produtores e frigoríficos visando discutir profundamente a solução dos problemas mercadológicos e de lucratividade para estes dois elos da cadeia produtiva, bem como sugerir políticas que permitam assegurar a expansão da demanda de carne bovina no mercado interno e a manutenção da liderança nas exportações globais.

Numa fase posterior, o CNPC pretende adicionar dois tributaristas e mais três membros ao grupo de trabalho: dois ligados aos setores varejista e atacadista, e um terceiro que representará os supermercados.

Durante a reunião realizada em 06/04 pela entidade em São Paulo (SP), não faltaram reclamações da parte dos pecuaristas. O coordenador do Fórum Nacional da Pecuária de Corte, Antenor Nogueira, pediu aos frigoríficos que retirassem a tabela de tipificação de carcaça. “Não tem sentido começar um diálogo com os frigoríficos com uma tabela já em vigor”, afirmou Antenor Nogueira que prometeu tão logo a tabela seja eliminada, ratificar os nomes do GT por parte dos produtores, uma vez que o plenário já fez indicações.

Pratini de Moraes, presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), evitou entrar na questão e discutiu assuntos que interferem diretamente na renda do produtor como política cambial, barreiras tarifárias internacionais, deficiências na questão sanitária, principalmente quanto à febre aftosa em certas regiões, política interna de juros, além de ressaltar a importância da atuação do Brasil em mercados que pagam mais pela carne brasileira, como Estados Unidos, Japão, Coréia do Sul e Taiwan. Ao final comentou que vai discutir com seu segmento os eventuais representantes da indústria.

Mesmo com a polêmica, Sebastião Costa Guedes, presidente em exercício do CNPC, fez um balanço positivo da reunião. “Compareceram lideranças importantes e começamos a estabelecer diálogo. Ficou claro para ambos os lados que em breve teremos a oficialização dos nomes e as condições necessárias para aprofundar a discussão. Encerramos com avanços concretos, assistidos e divulgados pela imprensa e pela mídia eletrônica, o que dá credibilidade às ações do CNPC”, afirmou.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink