Soja

Colheita da soja avança no Rio Grande do Sul

Lavouras de soja no Estado superaram a fase vegetativa, segundo a Emater
Por:
378 acessos

As lavouras de soja no Estado superaram a fase vegetativa, segundo a Emater. As plantações apresentam bom visual na maioria das áreas, com apenas 1% em fase de floração, 50% em fase de enchimento de grãos, avançando para 36% a área que se encontra em maturação do grão e amarelecimento das folhas e para 13% a área já colhida.

Nas áreas mais ao Norte, as produtividades variam de 3.200 a 3.600 kg/ha, superando a expectativa inicial de produtividade média. Nesta parte do Estado, há diversos relatos de produtividade superior a 70 sacas/ha (4.200 kg/ha). Entretanto, as cultivares de ciclo mais longo poderão apresentar uma redução, devido à falta de umidade na primeira quinzena de março, durante a fase de enchimento de grãos. Esse cenário é visível no Sul, na Campanha e no entorno da Costa Doce.

No milho, a colheita teve pequeno avanço durante o período, alcançando 75% do total da área. Devido à colheita da soja, que começa a tomar maior impulso a partir de agora, o ritmo deverá se manter lento, prolongando sua finalização. Quanto às produtividades, há uma leve tendência de diminuição nas regiões Sul e Campanha, enquanto que na Metade Norte, se mantêm elevadas, compensando uma possível queda em nível de Estado.

Com a cultura do trigo em entressafra, os produtores iniciam os encaminhamentos de propostas para custeio da safra 2018. Entre técnicos e produtores, a sensação é de que poderá haver redução na área cultivada, muito em função de os agricultores já terem recorrido ao Proagro pela terceira vez em cinco anos. Em função da demora na análise das informações dos laudos, os contratos foram prorrogados por 180 dias para que as interpelações possam ser respondidas. Ainda segundo técnicos, se observa uma tendência de aumento na utilização de variedades de trigo duplo propósito, possibilitando a integração lavoura-pecuária nas áreas antes destinadas somente à lavoura de grãos.

Pastagens gaúchas apresentam recuperação

Nas áreas de pecuária, a chuva ocorrida proporcionou a recuperação das pastagens e das aguadas. De acordo com a Emater, os campos nativos estão apresentando um bom rebrote.

As pastagens perenes de verão têm apresentado boa taxa de crescimento vegetativo, enquanto que as pastagens anuais de verão já começam a perder força pela proximidade do fim de ciclo de crescimento e pela mudança de estação do ano. Além disso, a ocorrência de chuvas vai desencadear o plantio das pastagens de inverno nas áreas onde está se colhendo a soja. A comercialização de terneiros, que geralmente acontece em maio, este ano poderá iniciar mais cedo, principalmente se os preços da soja estiverem altos na colheita.

De acordo com o Boletim Meteorológico Semanal da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação, o período entre 22 e 28 de março novamente apresentará chuva significativa em grande parte do Estado. Os totais acumulados previstos para o período deverão superar os 50 mm na maioria das localidades em parte da Campanha, Fronteira Oeste, Missões e no Vale do Uruguai. No restante do Estado, os valores oscilarão entre 30 e 50 mm. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink