Colheita de soja avançou no RS
CI
Imagem: Pixabay
LEVANTAMENTO

Colheita de soja avançou no RS

À medida que as lavouras vão maturando e secando, a tendência é de ampliar a área colhida
Por: -Aline Merladete

Nos dias de sol da semana, a colheita avançou em quase todas as regiões, e chegou a 95% do Estado. As demais áreas ainda estão em maturação. A não ocorrência de geadas na semana garantiu que as lavouras não fossem afetadas Na regional de Santa Rosa, o percentual da área colhida evoluiu para 96%. Não há mais lavouras em fase de enchimento de grãos, e apenas 4% das lavouras estão em maturação. À medida que as lavouras vão maturando e secando, a tendência é de ampliar a área colhida.

Havia preocupação com a possibilidade de a geada na semana afetar as lavouras tardias, mas isso não se confirmou. As áreas de soja de variedades de ciclo curto e médio, semeadas em final de outubro e em novembro, foram colhidas ou cortadas para feno ou simplesmente gradeadas para a implantação de adubação verde como nabo forrageiro antes do plantio de trigo.

A produtividade média dessas lavouras colhidas ficou em 300 kg/ha, além da baixa qualidade e do pequeno tamanho do grão, causando preocupação em relação à disponibilidade de sementes de qualidade para a próxima safra. Todas essas lavouras do cedo que tiveram financiamento e cobertura de Proagro foram amparadas em razão da grande perda de produtividade. Algumas lavouras da soja tardia semeadas em dezembro foram colhidas e surpreenderam com a produtividade um pouco melhor, com rendimento de 900 a 1.200 kg/ha. Porém, mesmo assim, na maioria dos casos foi necessário recorrer ao Proagro. Já as lavouras da safrinha estão na fase de maturação do grão, apresentando boas condições, sendo estimada uma produção de 1.500 a 1.800 kg/ha.

Com a melhoria da produtividade das lavouras de final de ciclo e das lavouras de safrinha de soja, a produtividade média esperada elevou-se para 515 kg/ha, reduzindo levemente as perdas médias para 84% em relação à produtividade média inicial esperada de 3.292 kg/ha. Contudo, salienta-se que, em muitas lavouras, a situação foi de perda total, conforme verificado em mais de 2.500 vistorias de lavouras de soja já realizadas pelos extensionistas rurais da região para atender as solicitações de Proagro, além de outras vistorias. Na regional de Ijuí, a alta umidade da semana prejudicou o avanço da colheita da soja. 

Os produtores realizaram a operação a partir de sexta-feira à tarde e estenderam-se até domingo. As lavouras estão em estádio de maturação. Devido às baixas temperaturas, o produto colhido apresentou umidade muito próxima da ideal (14%), e a abertura das vagens foi facilitada na operação de trilha. As lavouras colhidas neste final de safra seguem com produtividade superior às demais lavouras e com boa uniformidade de grãos. Praticamente 96% da área está colhida. 

Na regional de Bagé, persiste a preocupação quanto às lavouras nas várzeas devido ao excesso de umidade no solo e às previsões de novas precipitações. De maneira geral, há perdas nas lavouras por excesso de umidade e alagamento. Na Fronteira Oeste, a colheita está sendo concluída. Consolidam-se perdas causadas pela estiagem: em Maçambará e Manoel Viana, com média de aproximadamente 600 kg/ha; em Alegrete, houve perdas de 77,2%; e em São Borja, as médias ficaram entre 900 e 1.200 kg/ha. Na Campanha, em comparação a Fronteira Oeste do Estado, há mais lavouras por colher. Em Dom Pedrito, a colheita já atinge 80%; em Bagé e Aceguá, chega a quase 85% da área plantada. As lavouras implantadas na segunda quinzena de dezembro estão em maturação, com melhor potencial produtivo.

Na regional de Caxias do Sul, novamente as condições climáticas não permitiram o avanço da colheita em boa parte do período devido aos dias chuvosos e à alta umidade do ambiente. O tempo começou a ficar firme apenas na sexta-feira e permitiu a realização da colheita a partir do sábado, mas, mesmo assim, somente durante poucas horas do dia devido ao excesso de umidade ao amanhecer e no final da tarde e noite. As lavouras maduras a mais tempo apresentam alta porcentagem de grãos deteriorados devido ao excesso de chuvas no período após a maturação até a colheita.

Na de Erechim, a produtividade é de 2.082 kg/ha, e as perdas atingem 44% da produtividade esperada inicialmente. As áreas de safrinha estão sendo prejudicadas pelas chuvas, que atrasam a colheita. Na regional de Santa Maria, 97% das lavouras estão colhidas, mas, já nos próximos dias, a colheita deve ser finalizada. Na de Frederico Westphalen, a colheita está em reta final, consolidando-se em uma safra de fortes perdas na produtividade em função da prolongada estiagem no final do ano, com redução de produtividade de 60%. A expectativa atual é de 1.401 kg/ha.

Na de Pelotas, os primeiros dias da semana que passou foram chuvosos. Em virtude de os solos e as plantas estarem mais úmidos, a colheita avançou pouco em relação à semana anterior. As condições de colheita estão mais difíceis devido às condições de trafegabilidade nas lavouras e estradas internas para o escoamento da safra via caminhões. Soma-se a isso a grande quantidade de orvalho no período da manhã. Nas áreas já colhidas, os produtores implantam plantas de cobertura de inverno e pastagens. A produtividade de referência permanece em 2.520 kg/ha. A colheita chegou a 90% da área. As restantes estão em maturação e prontas para colher. A conclusão deve ocorrer até o final do mês.

Na de Soledade, com o tempo firme, a colheita se intensificou a partir de sexta-feira, seguiu durante o final de semana e já está em finalização. A soja tardia apresenta indicadores satisfatórios de produtividade. A ocorrência de chuvas nas últimas semanas fez com que muitos produtores atrasassem a colheita, que chega a 90%.

Comercialização (saca de 60 quilos)

De acordo com o levantamento semanal de preços realizado pela Emater/RS-Ascar no Rio Grande do Sul, houve redução de -0,68% em relação à semana anterior, passando de R$ 185,98 para R$ 184,72. O produto disponível em Cruz Alta continuou cotado em R$ 192,00.

As informações são do Informativo Conjuntural da Emater/RS.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.