Agronegócio

Colheita de trigo avança no Paraná; qualidade gera incerteza

Por: -Por Gustavo Bonato; Edição de Fabíola Gomes
1354 acessos
SÃO PAULO - A colheita de trigo no Paraná avançou para 56 por cento da área plantada na última semana, informou nesta terça-feira (15) o Departamento de Economia Rural (Deral), do governo paranaense.

O mercado está monitorando a qualidade dos grãos, que pode ser afetada pelo clima.

Houve avanço de 10 pontos percentuais na colheita ante a semana anterior.

"Nesta primeira quinzena de outubro não houve problemas para o avanço da colheita, ainda que persista a preocupação de um período mais duradouro de precipitações", disse o Deral, em relatório.

Além de eventuais prejuízos com chuvas nos último dias, a produtividade das lavouras paranaenses foi prejudicada por geadas em julho e agosto.

"Além da redução na produção, a qualidade dos grãos também está sendo afetada pelas chuvas constantes e muitas vezes em bons volumes, elevando assim, os teores de umidade do grão, levando a uma maturação mais precoce e até mesmo uma fermentação também precoce", disse a Somar Meteorologia em boletim nesta terça-feira.


As dúvidas sobre a oferta de trigo de boa qualidade no mercado tem levado a uma volatilidade nos preços domésticos, apontou nesta terça-feira o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Em setembro, o Deral reduziu a estimativa da safra paranaense de trigo para 1,7 milhão de toneladas, ante 1,96 milhão de toneladas na projeção de agosto, que já contava perdas de cerca de 1 milhão de toneladas por conta das severas geadas de julho.


Com uma safra de trigo menor no Paraná, o país espera contar com uma boa produção no Rio Grande do Sul, outro Estado importante produtor.

O Brasil importa a maior parte de sua demanda de trigo.

A colheita no Rio Grande do Sul está na fase inicial, segundo a Emater/RS, órgão de extensão rural do governo estadual.

A estimativa mais recente da entidade é de que as lavouras gaúchas produzam 2,47 milhões de toneladas de trigo em 2013, alta de 33 por cento ante a safra de 2012, impactada por fatores climáticos.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink