Com boa oferta de biodiesel, ANP prevê mudança tranquila para B5

Agronegócio

Com boa oferta de biodiesel, ANP prevê mudança tranquila para B5

Os próximos leilões de biodiesel da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) já deverão ser realizados considerando um mercado de B5
Por:
189 acessos

(Reuters) - Os próximos leilões de biodiesel da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) já deverão ser realizados considerando um mercado de B5, um combustível composto por 95 por cento de diesel e 5 por cento do renovável.

Segundo afirmou nesta sexta-feira (28) o superintendente de Abastecimento da ANP, Edson Silva, o resultado do leilão da véspera, provavelmente "o último para B4", indica que o país terá uma "transição" tranquila para um esperado aumento da mistura do biocombustível no diesel, que deverá ser definida em setembro pelo governo.

"Deveremos realizar o próximo leilão em outubro, para abastecer o primeiro trimestre do próximo ano, que já deve ser com 5 por cento", afirmou Silva, em entrevista por telefone.

No leilão de quinta-feira, os produtores ofertaram 685 milhões de litros de biodiesel, e a Petrobras e a refinaria Alberto Pasqualini (Refap) adquiriram 460 milhões de litros, volume que deve garantir o abastecimento para os últimos três meses do ano.

O leilão registrou um deságio de 1,48 por cento, e o produto foi comercializado a um preço médio ponderado de 2,27 reais por litro.

"Creio que está remunerando bem (aos produtores). O fato de ter todo o volume ofertado, e ter tido oferta bem superior ao limite, acho que é uma prova de que o preço corresponde", comentou Silva, destacando que as entregas do total leiloado para o terceiro trimestre estão regulares, atingindo um nível recorde de adimplência de 94 por cento.

Dessa forma, afirmou Silva, o país demonstra estar maduro para o aumento da mistura, até porque a capacidade instalada de produção é superior à demanda.

"Diria que todas as condições estão dadas para começar o B5 em 1o de janeiro de 2010", declarou ele, lembrando que esse percentual da mistura estava previsto inicialmente para 2013.

Com mais biodiesel sendo misturado ao diesel, o Brasil demandará por ano cerca de 2 bilhões de litros do biocombustível, ante 1,5 bilhão de litros em 2009, disse Silva.

Ele afirmou ainda que mais de 80 por cento da matéria-prima continua sendo soja e não vê problemas quanto a isso.

"Com a desaceleração mundial da economia, estamos dando conta de produzir soja para óleo, para ração e soja para biodiesel. Aliás, a produção de biodiesel foi um bom socorro para o setor", opiniou.

Caso seja aprovada a mistura de 5 por cento, o percentual deverá permanecer ao longo de 2010, pois, segundo Silva, a indústria automobilística, por ora, apenas garante aquele nível de biodiesel no diesel.

(Reportagem de Roberto Samora)


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink