Com fim de safra, usinas desaceleram moagem de cana

Agronegócio

Com fim de safra, usinas desaceleram moagem de cana

No acumulado da safra até 15 de dezembro, a moagem somou 552,48 milhões de ton
Por:
1032 acessos

O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do País totalizou 8,70 milhões de toneladas na primeira quinzena de dezembro, uma redução de 45,37% em relação ao mesmo período da safra anterior, e de 52,98% comparativamente aos últimos 15 dias de novembro de 2010.

Esta diminuição progressiva da moagem é decorrência da queda contínua do número de usinas em operação. Até o dia 15 de dezembro de 2010, a estimativa é de que 60 usinas devem prosseguir suas atividades até o final daquele mês. Na safra anterior este número era de aproximadamente 220 unidades.

“A safra 2010/2011 está praticamente encerrada e qualquer aumento da moagem nos períodos subseqüentes será apenas residual,” avalia Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA).

No acumulado da safra até o dia 15 de dezembro, a moagem somou 552,48 milhões de toneladas, 7,21% acima do valor registrado em igual período de 2009. Estas cifras ratificam o que a UNICA já expôs publicamente no final de novembro, de que a quantidade de cana-de-açúcar moída nesta safra ficará abaixo das 560 milhões de toneladas.

“As condições climáticas desfavoráveis à colheita nesse final de safra, e a conseqüente redução da produtividade agrícola do canavial em função da estiagem no período de maio a setembro, explicam esta forte retração da moagem, a qual já era esperada,” acrescenta Antonio de Padua.

Qualidade da matéria-prima

Apesar da diminuição acentuada na moagem quinzenal em dezembro, a quantidade de produtos disponíveis à produção de açúcar e etanol acumulada entre abril, início da safra, até 15 de dezembro foi 15,49% superior à observada no mesmo período de 2009. Este fato decorre do aumento da disponibilidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana em 2010 em relação ao ano anterior, quando o excesso de chuvas prejudicou demasiadamente a qualidade da matéria-prima.

Neste mesmo período, de abril a 15 dezembro, a quantidade de ATR por tonelada de matéria-prima atingiu 141,34 kg, 10,14 kg acima do apurado em igual momento de 2009. Nos primeiros 15 dias de dezembro, a concentração de ATR alcançou 121,64 kg por tonelada de cana-de-açúcar, redução de 7,93% em relação à quinzena anterior.

Açúcar e etanol

A proporção de matéria-prima destinada à produção de açúcar atingiu 44,88% no acumulado desde o início desta safra, contra 43,39% registrados no mesmo período de 2009. Como resultado, a produção de açúcar aumentou em 19,46%, totalizando 33,39 milhões de toneladas de abril até 15 de dezembro de 2010, ante 27,95 milhões de toneladas verificadas em igual período do ano anterior.

Já a produção de etanol alcançou 25,13 bilhões de litros, sendo 17,78 bilhões de litros de etanol hidratado – alta de 8,51% em relação à safra 2009/2010 - e 7,35 bilhões de litros de etanol anidro – crescimento de 22,80% relativamente à safra passada. Para o diretor da UNICA, estes números garantem a segurança no abastecimento, mesmo havendo uma forte migração de consumo nos veículos flex de etanol hidratado para gasolina do tipo “c”, ou comum. “Isto ocorre em função do ajuste natural entre a oferta e a demanda de etanol, e lembrando que se mantém o nível de mistura atual do produto à gasolina, de 25%,” explica.

No comparativo quinzenal, 35,62% do total de cana moída durante os primeiros 15 dias de dezembro destinou-se à fabricação de açúcar. Neste período, a produção somou apenas 359,32 mil toneladas, recuo de 30,04% sobre 2009. Verifica-se esta tendência de queda também para a produção de etanol: o volume produzido na primeira quinzena de dezembro atingiu 396,94 milhões de litros, dos quais 137,99 milhões de litros de etanol anidro, e 258,95 milhões de litros de etanol hidratado.

Vendas de etanol

O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somou 1,12 bilhão de litros na primeira quinzena de dezembro, alta de 5,30% no comparativo com o mesmo período da safra 2009/2010. Deste total, 71,45 milhões de litros destinaram-se à exportação, e 1,05 bilhão de litros ao mercado doméstico.

Em relação às vendas domésticas de etanol hidratado, somaram 755,28 milhões de litros nos 15 primeiros dias de dezembro, volume praticamente estável relativamente aos 774,26 milhões de litros comercializados na quinzena anterior. Contudo, este montante é significativo na medida em que os preços do produto permaneceram competitivos frente aos da gasolina do tipo “c” em seis estados (Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, São Paulo e Tocantins) durante o período.

Já as vendas internas de etanol anidro somaram 293,78 milhões de litros na primeira quinzena de dezembro, contra 294,41 milhões de litros nos últimos 15 dias de novembro. No acumulado desde o início de abril, o volume total comercializado do produto alcançou 5,14 bilhões de litros, dos quais 91,78% direcionaram-se ao abastecimento do mercado doméstico, contra 4,98 bilhões de litros registrados no mesmo período de 2009.

Quanto às vendas acumuladas de etanol hidratado, apresentaram ligeira retração de 5,56%, somando 13,74 bilhões de litros vendidos entre abril até 15 de dezembro de 2010. Como resultado, o montante total de etanol comercializado pelas unidades da região Centro-Sul alcançou 18,88 bilhões de litros, 3,33% inferior ao observado em 2009.

Avaliação quinzenal da safra 2010/2011 da região Centro-Sul, posição em 16 de dezembro de 2010.

SOBRE OS DADOS DA SAFRA
Os dados divulgados nesta atualização de safra são compilados e analisados pela UNICA, com números fornecidos pelos seguintes sindicatos e associações de produtores da Região Centro-Sul:

ALCOPAR - Associação dos Produtores de Bioenergia no Estado do Paraná
BIOSUL - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul
SIAMIG - Sindicato da Ind. de Fabricação do Etanol no Estado de Minas Gerais
SIFAEG - Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás
SINDAAF - Sindicato Fluminense dos Produtores de Açúcar e Etanol
SINDALCOOL - Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso
SUDES - Sociedade das Usinas e Destilarias do Espírito Santo

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink