Com litro na casa dos R$ 6,30, preço do leite não deve cair até setembro

Agronegócio

Com litro na casa dos R$ 6,30, preço do leite não deve cair até setembro

O litro do leite longa vida (caixinha) tende a seguir nos patamares de R$ 6 pelos próximos dois meses em Mato Grosso.
Por:
944 acessos

O litro do leite longa vida (caixinha) tende a seguir nos patamares de R$ 6 pelos próximos dois meses em Mato Grosso. A falta de chuvas e o alto custo de produção (ração) são alguns dos apontamentos para a redução da produção de leite no Estado, bem como no país. O valor tem assustado os consumidores, que já vinham encontrando elevação de preços em alguns produtos nos supermercados, como é o caso do feijão carioca e do arroz.

Em alguns supermercados e atacados na Capital mato-grossense o litro do leite UHT integral (caixinha), dependendo da marca, é visto entre R$ 4,69 e R$ 6,30. Já derivados do leite, como o queijo muçarela na casa dos R$ 50 o quilo, superando, inclusive, o quilo do filé mignon que em julho ficou na média de R$ 36,17 na Capital e da picanha de R$ 36,35.

A produção de leite no Brasil caiu em 2016, segundo o Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Mato Grosso (Sindilat-MT), Antônio Bornelli Filho. Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela o Brasil registrou retração no primeiro trimestre de 2016 de 4,5%, ante 2015.

Como o Agro Olhar destacou recentemente, estudo do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) revela que no primeiro semestre de 2016 foi constatada uma redução de 4% na captação de leite em Mato Grosso. O Instituto pontuou em seu Boletim Mensal do Leite que "Essa redução na captação já era esperada, uma vez que, muitos produtores deixaram a atividade no ano passado, em virtude dos baixos preços pagos pela matéria-prima”. 

“Não apenas no Brasil. Foi verificada redução na produção na Argentina também, por exemplo. A soja e milho, usados na ração, apresentaram alta de preço antes mesmo do valor pago ao produtor subir neste período de entressafra. São vários os fatores, na verdade, que contribuem para a produção de leite estar em baixa no Estado e no país”, comentou Bornelli Filho ao Agro Olhar.

O presidente do Sindilat-MT afirma que os preços devem se manter “estáveis” pelos próximos dois meses. “Tanto o valor pago ao produtor quanto o valor pago pelo consumidor devem seguir nos patamares atuais pelos próximos dois meses, com tendência de baixar. Em alguns Estados já está chovendo, o que auxilia com a pastagem”.

Bornelli Filho aconselha ainda que o consumidor pesquise os preços nos supermercados e atacados, pois há diferença de preços entre grandes e pequenas redes.

Leite de fora

Outro ponto abordado pelo presidente do Sindilat-MT é quanto ao produto trazido de outros Estados, como do Paraná, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo. “Temos apenas três laticínios que produzem leite longa vida (caixinha) em Mato Grosso e sozinhos não conseguem atender a demanda de 3,3 milhões de pessoas (número de habitantes do Estado). Consequentemente, são adquiridos pelos supermercados e atacados leite de fora e com isso há mais impostos”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink