Comercialização algodão e milho geneticamente modificados é liberada

Agronegócio

Comercialização algodão e milho geneticamente modificados é liberada

O pedido de liberação foi feito pela multinacional Monsanto
Por:
1086 acessos
A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou nesta quinta-feira (16) a liberação comercial de algodão geneticamente modificado tolerante ao herbicida glifosato. O pedido de liberação foi feito pela multinacional Monsanto.

O presidente da Comissão, Edilson Paiva, disse que o glifosato não traz risco à saúde da população.

“A missão da comissão [CTNBio] é analisar ideologicamente esses organismos geneticamente modificados. Se foi aprovada pra liberação comercial, é que as análises mostraram que ele deve ser tão seguro quanto as suas versões convencionais”, disse.

A comissão também liberou o pedido da Du Pont do Brasil para a comercialização do milho transgênico desenvolvido pela empresa.
"Se foi aprovada, é que as análises mostraram que deve ser tão segura quanto as versões convencionais"

A CTNBio aprovou ainda duas vacinas contra doenças que afetam as aves. a bouba, que causa lesões nas pernas e na cabeça do animal; e a laringotraqueíte , doença respiratória altamente contagiosa causada por um herpes vírus.

As duas vacinas, segundo Edilson Paiva, são produzidas por técnicos de engenharia genética e vão ser usadas no combate à doenças aviárias, na indústria de produção de carne de aves.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink