CI

Comercialização de milho segue parada

O Paraná tem raros negócios nesta sexta-feira, com exportação ausente


Foto: Divulgação

A comercialização gaúcha de milho continua parada, acumulando estoques, segundo informações da TF Agroeconômica. “Mercado gaúcho de milho continua andando de lado porque os compradores conseguem matéria-prima fora do estado a preços menores do que os vendedores locais desejam. Fábricas seguem se abastecendo com milho do Centro-Oeste, que chega ao estado mais competitivo. Interesse de compra recuou R$ 2/saca para R$ 92,00 até R$ 94,00 POSTO FÁBRICAS, dependendo da localização, para o mercado diferido. Mas não se acham ofertas”, comenta.

Enquanto isso a comercialização de milho catarinense também acumula estoques. “Mercado local em Santa Catarina segue praticamente parado, porque os compradores continuam se abastecendo no Centro-Oeste do Brasil ou de milho paraguaio (mais ao oeste), que são mais competitivos. Há ofertas em algumas regiões do estado, mas com preços bem acima do que aquelas conseguidas pelos compradores em outras regiões do país, de modo que o mercado local não anda”, completa.

O Paraná tem raros negócios nesta sexta-feira, com exportação ausente. “Dos lotes que acompanhados hoje rodou algumas quantidades em Cascavel e Ponta Grossa: Cascavel a R$ 87/saca FOB em 2 mil tons e Ponta Grossa a R$ 88/saca em 1000 tons. No mais, mercado permaneceu bem quieto, apenas com indicações nominais, não tendo sido negociado grandes quantidades. A exportação, com a forte queda do dólar superando em muito a leve alta da CBOT, também permaneceu quieto, tanto na Ferrovia, quanto em Paranaguá ou São Francisco do Sul”, conclui a consultoria, nesse início de semana.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.