Desafio

Comitê Estratégico Soja Brasil premiará produtores que atingiram máxima produtividade

Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja 2016/2017
Por:
1265 acessos

O Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) anunciará no dia 13 de junho, no Gran Palazzo, Passo Fundo (RS), os sojicultores que alcançaram a maior produtividade do Brasil. A premiação teve início na safra 2008/2009 e, desde então, a produtividade saltou de 82,8 sacas por hectare para 142 sacas/ha em 2014/2015. A expectativa em 2017 é de mais de 143 sacas por hectare.

O Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja 2016/2017 recebeu número superior a 5 mil inscrições de produtores rurais interessados em produzir mais soja na mesma área de plantio. O número é 12% superior ao registrado no ano passado, quando o Desafio teve 4.400 inscrições em todo o país, informa o Comitê.

O recorde de adesões representa a importância que as pesquisas, as novas tecnologias e a adoção de sustentabilidade no campo adquirem no dia a dia do produtor de soja. Ao longo dos anos, o Cesb tem compartilhado histórias de sucesso com os produtores, buscando alavancar a média da produção nacional que hoje é de 54,7 sacas por hectare, o que torna o Brasil o segundo país no ranking mundial da produtividade, atrás apenas dos EUA, com 58,3 sacas por hectare.

“Várias técnicas utilizadas e em convergência levam a altas produtividades. Como exemplo, podemos citar algumas que sempre estão presentes em patamares de produtividade acima de 70 sacas por hectare:  perfil de solo corrigido com presença de Ca e Mg (40cm); nutrição de planta ajustada para altas produtividades (K, B, Cu);  manejo fitossanitário adequado;  variedade, população de plantas e arranjo espacial adequados; ausência de impedimento físico para desenvolvimento adequado do sistema radicular (40cm); busca contínua de sustentabilidade (social, ambiental, financeira). O resultado destes últimos nove anos nos mostra que nada acontece por acaso e nem de uma safra para outra. Tudo é construído ao longo do tempo”, diz Nery Ribas, presidente do Cesb.

De acordo com ele, as inovações tecnológicas de genética, manejo e conscientização para o uso adequado das ferramentas disponíveis já demonstraram que a eficiência na produção por unidade de área é maior que o aumento extensivo, o que impacta diretamente a redução da área plantada, consequentemente, há diminuição de abertura de novas fronteiras agrícolas.

De fato, o aumento contínuo da produtividade é uma forma alternativa de evitar a abertura de novas áreas para cultivo de soja. 

"Ano a ano, os produtores rompem patamares de produtividade, o que demonstra que a rede de conhecimento estabelecida no prêmio é a nossa maior conquista", comenta Ribas.

Quais lições os sojicultores aprendem com os campeões?

Boas práticas agrícolas, conservação do solo e da água, uso de tecnologias viáveis e de fácil acesso ao produtor, planejamento agrícola aliado ao controle e investimento financeiro racional, parcerias, consultoria para discussão e tomada de decisão, manutenção da biodiversidade e ciência da agronomia aplicada de forma pura e simples, são alguns dos fatores presentes na história dos campeões Cesb, responde Ribas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink