Commodities despencam na China após coronavírus

SOJA

Commodities despencam na China após coronavírus

Produtos agrícolas na incluindo óleo de soja, óleo de palma e ovos também tocaram queda
Por:
2689 acessos

Os mercados de commodities na China despencaram no primeiro dia de negociações após um feriado prolongado de Ano Novo Lunar, com diversos contratos futuros tocando o limite diário de queda por temores sobre a disseminação de um novo vírus e seu impacto sobre a demanda no maior consumidor global de commodities.

Os contratos mais ativos do cobre na bolsa de futuros de Xangai, do minério de ferro em Dalian e do petróleo na bolsa internacional de energia recuaram aos limites diários de baixa logo na abertura, com o cobre perdendo 7% e o minério de ferro e o petróleo 8%.

Produtos agrícolas na bolsa de Dalian incluindo óleo de soja, óleo de palma e ovos também tocaram limites de queda.

As perdas na China seguiram-se a recuos nos mercados globais desde 24 de janeiro, quando começou o feriado de Ano Novo Lunar, à medida que preocupações com o vírus atingiam os preços em todos setores.

A epidemia do coronavírus, que já havia deixado 362 mortos até domingo, com mais de 17 mil infectados em duas dezenas de países, foi declarada como emergência internacional pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Analistas disseram que o impacto da epidemia sobre os preços das commodities foi maior do que durante o surto da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), entre 2002 e 2003, que também teve origem na China e levou a quase 800 mortes.

“A China responde por uma parcela muito maior da demanda por commodities agora em relação a 2003, se estivermos comparando ao impacto do Sars. O impacto é mais agudo em termos de desempenho da demanda”, disse o analista Vivek Dhar, do Commonwealth Bank da Austrália.

“A outra questão a considerar é quanto tempo durarão as férias prolongadas (devido ao vírus)... para os mercados físicos, a demanda por reabastecimento está muito fraca. Isso desempenha um papel maior em setores movidos pelo mercado físico, como minério de ferro e carvão”, disse ele.

Embora os mercados financeiros tenham reaberto nesta segunda-feira, outras partes da economia seguem fechadas, com muitas províncias e empresas ampliando folgas por mais uma semana.

Na bolsa de Xangai, o níquel, o estanho, o chumbo e os aços inoxidáveis caíram de 5% a 6%, enquanto o alumínio e o zinco recuaram de 4% a 5%.

A maior parte dos preços operava perto dos limites diários de baixa ao final das sessões.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink