Como fica o tempo nesta semana
CI
Imagem: Marcel Oliveira
AGROTEMPO

Como fica o tempo nesta semana

O Sul do país o avanço de uma frente fria provocará chuvas com volumes significativos no sul do RS
Por: -Eliza Maliszewski

Para esta segunda-feira (11/01) a atuação da Alta da Bolívia (um anticiclone - ventos circulam no sentido anti horário - que ocorre a cerca de 10 km de altitude, comum no verão), em conjunto com um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) centrado ao norte da BA, mantém a presença das instabilidades em parte da região norte e nordeste. No sul do país o avanço de uma frente fria provocará chuvas com volumes significativos no sul do RS, avançando nos próximos dias. E na parcela central do país, o tempo ainda será marcado pelas chuvas de verão.

No norte do país, o aquecimento diurno e a umidade são os principais componentes para a formação das chuvas na região. Porém essas chuvas serão na forma de temporais isolados e mal distribuídos entre o AM, RO, AC, RR. Já no PA e norte do TO as chuvas serão mais volumosas, devido à interação entre os sistemas da Alta da Bolívia e o VCAN, os ventos em altitude nesta região ficam mais intensificados provocando uma maior instabilidades, consequentemente mais condições para formação de temporais que podem ser localmente fortes. No AP há também condições para chuvas volumosas devido ao posicionamento da zona de convergência intertropical.

No nordeste, o VCAN ainda mantém o tempo mais seco na sua parcela central que está posicionada sobre o norte da BA, SE, AL e dá condições para chuvas entre o oeste da BA, PI e MA. E no sul do MA e PI, as chuvas podem ser localmente fortes. Já nos demais estados, as instabilidades são menores apenas com possibilidade de chuva fraca e passageira.

Na região centro-oeste, o tempo também será dominado pela influência da Alta da Bolívia, impedindo a formação de chuvas na região do Pantanal e boa parte do MS, entretanto os temporais ficam concentrados no norte do MT, no sul e bolsão do MS e centro sul do GO. No nordeste matogrossense e norte do do GO, possibilidade de chuvas isoladas e mal distribuídas.

A presença de uma região de baixa pressão entre o triângulo mineiro e oeste paulista, somados ao calor, a influência da Alta da Bolívia nas partes mais altas da atmosfera, e a umidade da circulação marítima no litoral. As instabilidades terão força na região sudeste, com previsão para grandes volumes de chuva na região da zona da mata mineira, norte e litoral de SP, e RJ. E condições para temporais isolados no centro norte de MG e sul de SP.

Essa umidade marítima que auxilia nas instabilidades do litoral do sudeste, também atua no litoral do PR e parte do litoral norte de SC com possibilidade de chuva fraca a qualquer hora do dia. Além disso, o alinhamento do fluxo de ar quente e úmido da região amazônica, por conta da aproximação de uma frente fria, pode ocasionar temporais isolados entre o PR e SC. Conforme a frente se aproxima, uma massa de ar quente e úmido fica posicionada no estado do RS dando a sensação de calor e abafamento, onde as temperaturas podem passar dos 35°C e a sensação térmica próxima dos 40°C principalmente no oeste e sul do estado. A tendência é que o sistema avance pelo estado no período da tarde, trazendo temporais generalizados acompanhados de raios, vendavais e potencial para queda de granizo, principalmente na parcela sul do estado.

Este sistema avançará levando instabilidades para as demais áreas da região sul do Brasil na terça-feira (12/01). Na quarta e quinta-feira (13 e 14/01) o sistema frontal avançará de forma mais oceânica e reforçando as áreas de instabilidade em parte do Sudeste, principalmente em boa parte de SP, sul de MG, sul do RJ, além de áreas do norte e leste do PR. Os volumes de chuva aumentam de forma considerável em áreas do Sudeste principalmente na faixa leste de SP. Estas instabilidades em parte do centro-sul do país continuarão a se alinhar pelo interior e norte do país, onde se observam os ventos mais intensos em altitude, além do forte calor. Gradativamente, as instabilidades de altitude se deslocam para leste, aumentando as instabilidades em alguns setores da Região Nordeste.

Veja no mapa as chuvas acumuladas em 24 horas:

Confira também as temperaturas registradas no Brasil nas últimas 24 horas:


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink