Complexo soja se coloca como protagonista na produção alimentícia mundial
CI
Agronegócio

Complexo soja se coloca como protagonista na produção alimentícia mundial

Só no Brasil, a oleaginosa responde por 49% da área plantada no país
Por:
Dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) revelam que a produção de alimentos no mundo terá de aumentar 20% até 2020 para atender a demanda mundial, e o Brasil será responsável por 40% desse crescimento. Para responder a essa demanda, empresas têm aplicado diversas tecnologias no campo.


Neste contexto, a soja se coloca como protagonista no cenário mundial. Só no Brasil, a oleaginosa responde por 49% da área plantada no país, em 12 estados com clima e solos distintos. A cultura ocupa lugar de destaque na balança comercial brasileira - no 1º trimestre de 2013 alcançou US$ 2,43 bilhões em vendas, totalizando 66,3% do valor total das exportações do agronegócio, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Para incrementar a produção de soja, de modo que ele atenda o aumento de procura por alimentos, o complexo-soja (grão, farelo e óleo) - principal gerador de divisas cambiais do Brasil, recebe pesados investimentos na área da tecnologia. 

A necessidade pela ampliação de fronteiras para o plantio foi sanada pelas instituições de pesquisa, que, por meio de estudos, conseguiram diminuir o ciclo da soja de 140 a 150 dias para 100 dias e transformaram seu potencial genético.

Hoje, ele representa um número em produtividade muito superior aos indicadores atuais de produção, podendo ultrapassar facilmente 6.000 kg/ha, esse número só poderá ser alcançado com investimento na nutrição da planta. As altas produtividades conseguida pelos produtores estão nos patamares de 3600 kg/ha a 4200 kg/ha. 


Tradecorp

Todo esse processo de adaptação passa por uma busca de melhora da cultura e dentro desse processo, o grande objetivo a ser atingido é aumentar a produtividade. “Os maiores problemas que dificultam o aumento da produtividade são os estresses que a planta sofre”, afirma o diretor comercial da Tradecorp, Luiz Schmitt.

Pensando nesse aspecto, a Tradecorp trabalha com a personalização das soluções nutricionais para a planta de acordo com a situação de solo e clima em que ela se encontra, promovendo o ajuste fino na nutrição para elevar a produtividade da cultura.

“Nós adequamos o portfólio de produtos para chegar à máxima produtividade que o potencial genético da soja permite. A parcela orgânica dos fertilizantes especiais têm variações de dose consoante ao tipo de problema que necessita ser resolvido”, completa Schmitt.


O ajuste fino na nutrição complementar atua sobre a fisiologia da planta combatendo o estresse e permitindo um rendimento maior na produção. “Uma semana de tempo nublado pode comprometer de 8% a 10% da produção da soja”, explica.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.