Compras da China elevam preço da soja no Brasil

MERCADO FÍSICO

Compras da China elevam preço da soja no Brasil

Venda de 390 mil t de farelo de soja para os asiáticos fez as indústrias brasileiras elevarem preços
Por: -Leonardo Gottems
5225 acessos

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (07.05) com preços médios da soja subindo 1,53% no interior do país. Isso elevou para a média de R$ 68,85/saca, com praças em que o preço foi maior, reduzindo para 0,40% as perdas no mês de maio.

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, uma venda de 390 mil toneladas de farelo de soja para a China, feita nesta terça-feira, permitiu às indústrias brasileiras elevar os preços: “A maior parte destas vendas foi apenas um fechamento de soja que já estava depositada nos armazéns das indústrias, como acontece na maioria dos casos”.

Nos portos, a média dos preços também subiu 0,81%, para R$ 74,92/saca. Com isto os ganhos do mês foram elevados para 0,75%. “Voltamos a dizer, isto foi uma média, houve situações de preços mais altos e outros mais baixos do que este”, ressalta o analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco. 

Os prêmios de exportação do grão voltaram a subir nesta terça, mas menos: maio permaneceu inalterado, junho subiu 2 cents/bushel, julho subiu 3 cents, agosto subiu 22 cents/bushel nos portos brasileiros nesta terça-feira, mas, a maioria dos preços subiram durante as sessões de câmbio e de Chicago, com o dólar chegando a R$ 4,00 e a soja a 836,25 (5,75 cents de alta), embora depois tenha fechado a 830,75. 

“Isto permitiu fechamento de alguns lotes a R$ 76,00 no porto de Rio Grande, durante o pregão, contra R$ 74,00 do dia anterior, mas fechou com preços a R$ 75,50/saca, no final da sessão. Informações do interior do país nos relatam que o mercado rodou mais negócios de milho; na soja grandes produtores com pedidas de R$ 64,00 spot e R$ 65,00 junho, na Bahia. Já os pequenos e médios produtores continuam segurando os lotes e com pedidas maiores”, conclui Pacheco.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink