Conab anuncia R$ 54 milhões para compra de feijão e milho no Paraná

Agronegócio

Conab anuncia R$ 54 milhões para compra de feijão e milho no Paraná

Cada produtor poderá vender até o máximo de R$ 3.500,00 por ano para a Conab
Por:
303 acessos
A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) iniciou a formação de estoques reguladores de feijão e milho. Neste mês de abril, o governo federal liberou R$ 54,2 milhões em recursos para compra no Paraná. Assim, os produtores de feijão e de milho, que estão vendendo abaixo do preço mínimo (média de R$ 65 para o feijão), têm agora a oportunidade de vender a produção para a Conab pelo valor mínimo estabelecido para esta safra 2008/09, de R$ 80.

Essa é a primeira vez este ano que o governo federal entra no mercado para comprar a produção de milho e a segunda vez que compra feijão no Paraná. Mas no mês passado, a Conab comprou apenas 4.000 toneladas no feijão e agora os recursos disponíveis podem adquirir pelo menos cinco vezes mais que esse volume.

Além da compra da Conab, os agricultores familiares também poderão vender a produção de feijão para o governo federal. O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) liberou R$ 226 milhões para a Conab promover o programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para comprar feijão. Nesse caso os recursos serão destinados para todo o País, mas não há limites para Estados. As demandas serão atendidas, e como o Paraná é o maior produtor nacional de feijão poderá acessar maior volume desse recurso disponível, disse o superintendente da Conab no Paraná, Lafaete Jacomel.

Já estão disponíveis recursos no valor total de R$ 26,7 milhões para Aquisição do Governo Federal (AGF) do feijão. Isso é suficiente para adquirir 20 mil toneladas de feijão pelo preço mínimo de R$ 80,00 a saca de 60 quilos, informou Jacomel.

Também estão disponíveis mais R$ 27,5 milhões também para AGF do milho. Esses recursos são suficientes para a compra de 100 mil toneladas pelo preço mínimo de R$ 16,50 a saca. A pretensão da Conab é entrar firme no mercado em abril e maio para formar estoques - avisou Jacomel. \"Se os agricultores quiserem vender seus produtos pelo preço mínimo, a Conab já está com os recursos disponíveis\", destacou.

Para o secretário Valter Bianchini, essa é uma boa notícia porque irá provocar uma reação do mercado nesse período de comercialização, em que a tendência é de queda de preços. O Paraná está colhendo entre 12 milhões e 12,5 milhões de toneladas de milho e 813.500 toneladas de feijão este ano e os produtores já estão enfrentando dificuldades na venda.

De acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria, o feijão de cor está sendo vendido em média por R$ 65,72 a saca e o feijão preto por R$ 68,59 a saca, todos abaixo do mínimo estabelecido de R$ 80,00 a saca. E o preço do milho no mercado já está encostando no preço mínimo, que é de R$ 16,50 a saca. Segundo Bianchini, certamente a intervenção da Conab irá provocar reação nesses preços, beneficiando o produtor.

O PAA vai atender o agricultor familiar produtor de feijão. Cada produtor poderá vender até o máximo de R$ 3.500,00 por ano para a Conab. E eles receberão R$ 87,00 por saca, acima do preço mínimo.

Os interessados em vender a produção para a Conab devem procurar associações de produtores, armazéns, e cooperativas credenciadas pela instituição.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink