Conab eleva 2ª safra de milho e consolida potencial de MT

Agronegócio

Conab eleva 2ª safra de milho e consolida potencial de MT

Penúltimo levantamento confirma Mato Grosso no topo da produção nacional de grãos e fibras
Por:
460 acessos

Se existem problemas no agronegócio mato-grossense, definitivamente, eles estão do lado de fora da porteira. Mesmo economizando literalmente adubos e fertilizantes aplicados na lavoura e otimizando os tratos culturais, o penúltimo levantamento de safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nessa quinta-feira (6), revela que os produtores estaduais conseguiram fazer de Mato Grosso, o líder na oferta nacional de grãos e fibras na atual temporada. Mesmo com as colheitas de milho e algodão em andamento, o ciclo 08/09 se confirma como o segundo melhor da história no Estado, 27,48 milhões de toneladas, ou, 20,44% do total a ser ofertado pelo Brasil, estimado em 134,49 milhões de toneladas.

Fora a liderança absoluta do algodão e soja mato-grossenses, os novos números sedimentam a segunda safra de milho, a safrinha estadual como a maior do País, desbancando a tradicional liderança do Paraná. Como aponta a Companhia, as lavouras de milho segunda safra da região Centro-Oeste foram as principais responsáveis pela recuperação em relação ao mês de julho, com destaque para Mato Grosso e Goiás.

Em Mato Grosso, o incremento foi de 392,5 mil t, totalizando 6,75 milhões de t. A produção nacional de milho safrinha é agora de 16,63 milhões de t. O Paraná deverá colher cerca de 4,68 milhões de t.

Ainda falando do milho, os números indicam uma redução muito aquém do que foi estimado pelos produtores estaduais no início da safra. Depois de registrar a maior safrinha da história do milho em Mato Grosso na safra passada (07/08), quando foram colhidas mais de 7 milhões de t., cogitou-se em razão da falta de crédito, mercado desfavorável e elevado custo de produção, um recuo de até 50% na área plantada. Porém, no meio do caminho, o governo federal sinalizou apoio à comercialização do grão com contratos de Opção e leilões e o clima – com abundância de chuvas durante a germinação das plantas – elevaram os ânimos no campo e agora a queda na área é de 9,2% e na produção o recuo não chegou a 4%.

VOLUME - Nesta safrinha, o milho, que teve incremento médio de produtividade de 5,9% em relação à safra passada, como aponta a Conab, vai se transformando em problema pela falta de capacidade estática para armazenagem simultânea de milho e soja no Estado.

No final de julho, membros da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT) entregaram ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Reinhold Stephanes, que esteve no interior do Estado, um documento reforçando a necessidade da continuidade dos leilões de milho. A previsão da entidade é de que o grão totalize 7,14 milhões de t. Com a estimativa de 2 milhões de t. destinados ao consumo interno e mais 1,418 milhão de t. negociado por meio de leilões de Opção no início do ano, ainda existe um saldo de 5,223 milhões de toneladas para serem escoadas, quantidade que inclui também os estoques de passagem de 1,5 milhão de t.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink