Agronegócio

Concurso público reforçará defesa agropecuária gaúcha

Os novos servidores vão trabalhar na fiscalização de produtos de origem animal e vegetal para garantir que a população consuma alimentos de qualidade
Por: -Assessoria Seapa
1455 acessos
O secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, assinou, na tarde de segunda-feira (30 de setembro), contrato com a Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH) para realização de concurso público que irá preencher 130 vagas de veterinários, engenheiros agrônomos, engenheiros florestais e técnicos agropecuários.

Os novos servidores vão trabalhar na fiscalização de produtos de origem animal e vegetal para garantir que a população consuma alimentos de qualidade. Vinculados à Divisão de Produtos de Origem Animal (Dipoa) e na Gerência de Defesa Vegetal, serão distribuídos por 19 cidades onde há maior demanda por área de atuação, incluindo a sede da Seapa, em Porto Alegre. Devem começar a ser chamados em quatro meses após a seleção.

O concurso será composto por cinco provas objetivas. Cada uma terá 60 questões, divididas em conhecimentos gerais (10), língua portuguesa (10), informática (10), língua estrangeira - inglês e espanhol (5) e conhecimento específico (30). A publicação do edital e a abertura das inscrições acontecerão na segunda quinzena de outubro. Os interessados terão 15 dias para se inscrever através do site www.fdrh.rs.gov.br.

Mainardi elogiou o trabalho da FDRH na elaboração do contrato. Reafirmou a importância do ingresso por meio de concurso, garantindo a execução de políticas públicas perenes. "A defesa agropecuária, além de políticas estruturadas de forma regional, precisa de profissionais comprometidos e qualificados", reforçou.

Segundo o secretário, a entrada dos profissionais vai dar suporte, por exemplo, ao programa de identificação individual do rebanho bovino gaúcho, projeto que está na Assembleia Legislativa aguardando votação. Eles também terão a responsabilidade de fiscalizar o uso e a comercialização de agrotóxicos, em conjunto com órgãos federais, estaduais e municipais, além de frigoríficos e laticínios.

O aumento no número de fiscais engrossará o combate ao abigeato. Iniciada semana passada na Região da Campanha, a ação já resultou na apreensão de quase duas toneladas de carne e na prisão em flagrante de nove pessoas. É uma parceria entre as secretarias estaduais da Agricultura, Saúde, Meio Ambiente, Fazenda e Segurança Pública, e o apoio das polícias Rodoviária Federal, Federal, Ibama, Receita Federal, prefeituras, Farsul, Fetag e sindicatos rurais.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink