Conferência Nacional da Juventude foi pauta do Comitê de Juventude Rural
CI
Agronegócio

Conferência Nacional da Juventude foi pauta do Comitê de Juventude Rural

“O território é um política pública estratégia. É por onde estamos construindo um novo modelo de desenvolvimento, com participação social"
Por:
Na segunda e terça-feira (28 3 29), aconteceu em em Brasília (DF), Reunião do Comitê Permanente de Juventude Rural do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf). O Secretário de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SDT/MDA), Jerônimo Rodrigues, participou do debate, onde foi realizado um balanço das conferências territoriais e estaduais de juventude e foram debatidas as perspectivas, possibilidades e estratégias para a Conferência Nacional de Juventude, que vai na capital federal, entre os dias 9 e 12 de dezembro.


Durante o encontro, Jerônimo Rodrigues destacou a importância do momento. “O território é um política pública estratégia. É por onde estamos construindo um novo modelo de desenvolvimento, com participação social. Não podemos planejar o rural de costas para o urbano, nem planejar o urbano de costas para o rural. Os dois se complementam. Nesse sentido, a Conferência de Juventude será importante para trazer esse tema ao debate”.

Já foram realizadas em todo Brasil mais de 100 conferências territoriais de Juventude, o que demonstra a força e o protagonismo da juventude do campo e da floresta, e de seus movimentos sociais. As conferências territoriais e estaduais permitiram um debate descentralizado e democrático das diversas realidades e demandas das juventudes brasileiras, especialmente dos jovens do campo e da floresta.


Nos territórios rurais, os debates e a ação da juventude demonstraram a importância de garantir direitos e políticas articuladas e adequadas às identidades dos povos do campo. Além disso, foi um importante momento de aprofundar o diálogo e comprometer os governos locais frente às políticas públicas de juventude, na perspectiva da efetivação de direitos às juventudes e da promoção de mecanismos de participação social, que inclua os jovens rurais. “Esperamos que o espaço dos territórios seja reconhecido como um espaço de articulação da juventude”, destacou Elenice Anastácio, Secretária de Jovens da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG).

Como demandas centrais debatidas nas conferências destacam-se as questões relacionadas às políticas de democratização do acesso a terra, de acesso à educação do campo e no campo, de geração de renda e fortalecimento da agricultura familiar e de promoção do esporte, lazer e cultura, valorizando as identidades do campo. Estes temas emergiram articulados ao debate da sucessão rural. “A juventude rural quer ter o direito de permanecer na roça, e pra isso, ela quer transformar o campo e a floresta em um lugar de acesso a direitos, de valorização das identidades, de vida e produção sustentável, em contraposição às imagens de privação e atraso, produzidas por uma história de negação de cidadania aos povos do campo”, afirmou Elenice Anastácio.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.