Confinamento eleva lucro nas fazendas de pecuária de corte

Agronegócio

Confinamento eleva lucro nas fazendas de pecuária de corte

Em tempos de rentabilidade apertada, o pecuarista precisa buscar alternativas que o ajudem a elevar os ganhos econômicos da propriedade
Por: -Giuliano
68 acessos

Em tempos de rentabilidade apertada, o pecuarista precisa buscar alternativas que o ajudem a elevar os ganhos econômicos da propriedade, sem com isso contrair grandes despesas. Dentro disso, o investimento em nutrição de qualidade ainda é uma das opções mais vantajosas para o produtor, pois, comprovadamente, ela impulsiona o ganho de peso dos animais, encurtando o ciclo de produção. A equação é simples. Com o boi menos tempo no pasto, o custo é menor e a receita, superior.

“Dentro dessa lógica, o confinamento surge como uma importante ferramenta para a pecuária, que cada vez mais tem seu sistema de produção atrelado à agroindústria frigorífica que exige do pecuarista escala, padronização e regularidade na entrega”, explica Marcos Sampaio Baruseli, coordenador nacional de confinamento da Tortuga Cia. Zootécnica Agrária que destaca a alimentação de qualidade como ponto determinante para o produtor obter produtividade na pecuária intensiva e profissional.

Dados da Associação Nacional dos Confinadores (Assocon), apontam para a alimentação como a responsável por 29% do custo do gado em regime de confinamento. Isso, na prática, significa que não se pode brincar com a nutrição animal. “É preciso colocar no cocho nutrientes que garantam, comprovadamente, ganho de peso e conversão alimentar”, complementa Baruselli, “Uma arroba de boi gordo em regime de confinamento está cotada em R$ 48,00. O mercado futuro trabalha, hoje, com R$ 61,00/arroba para outubro. Trata-se de um ganho de R$ 13,00 por arroba, considerando o preço de hoje do gado”, diz.

Outro ponto favorável para o futuro da produção de boi gordo em sistema super-intensivo, são as tecnologias em nutrição para bovinos confinados capazes de reduzir o custo da diária dos animais e as exigências dos frigoríficos em relação à terminação de animais confinados. Dois lançamentos recentes na linha de suplementos minerais da Tortuga: Fosbovi Protéico 35 e Fosbovi Confinamento com Leveduras chegaram ao mercado no começo do ano com grande aceitação.

“As perspectivas para a pecuária e o agronegócio como um todo, levaram mais de 120 confinadores, pecuaristas e técnicos da Tortuga a criar uma série de simpósios sobre o tema confinamento, em Araçatuba (SP), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS), todos no primeiro semestre”, ressalta Marcos Baruselli.

“Realizamos eventos de muita qualidade, com conteúdo técnico e de mercado que certamente colaboraram para o pecuarista obter êxito no confinamento. O tema é especialmente pertinente em um ano em que o confinamento passou a ser visto como opção econômica importante por proporcionar ao produtor melhor giro de capital, alta liquidez e certas vantagens na comercialização de bovinos”, completa Max Fabiani, presidente da Tortuga. As informações são da assessoria de imprensa da Tortuga.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink