Confinamento terá queda de 11% em Mato Grosso

Agronegócio

Confinamento terá queda de 11% em Mato Grosso

Por:
251 acessos

Nos últimos quatro anos o volume de propriedades que optaram pelo confinamento em Mato Grosso cresceu mais de 300%. Em 2008, o número de cabeças engordadas neste sistema somou 455 mil, contra 103 mil em 2005. Mas para 2009, as perspectivas são de retração neste nicho da atividade pecuária de cerca de 11%. “Reflexo imediato da incerteza nos preços de mercado futuro, falta de boi magro para engorda e o custo do milho e da soja. O produtor tem de tomar uma decisão no máximo até setembro para confinar em outubro, mas eles estão fazendo as contas e os resultados não projetam a rentabilidade desejada”, avalia o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari.

Nas duas últimas semanas o Instituto de Economia Agropecuária (Imea) realizou o primeiro levantamento de intenção de confinamento de 2009. Dentre 162 unidades confinadoras encontradas pelo Imea no Estado, 135 (83%) foram contatadas ou quiseram participar do levantamento. Deste total, 22 propriedades, 14% do total, afirmaram não ter intenção de confinar animais em 2009. Foi levantado ainda que 43 propriedades, ou 27% do total, têm intenção de confinar, mas não definiram suas estratégias de engorda e comercialização.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink